ACORDO ASSINADO, A LUTA CONTINUA (contra o injusto equacionamento na Petros, por um representante no C.A. da Petrobrás e em defesa da PLR)

A Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) reuniu-se dias 17 e 18/1, no Sindipetro-RJ, para debater os próximos passos da mobilização petroleira, começando pelo desfecho da campanha pelo ACT. As assembleias da categoria, que terminaram na quarta (17), na maior parte das bases do país, autorizaram a assinatura do acordo coletivo apresentado pela Petrobrás. Um documento de ressalvas ao ACT, no entanto, será apresentado pela FNP para demarcar o protesto dos petroleiros. A assinatura foi efetuada na sexta, dia 19. Já estão marcadas reuniões sobre Benefício- Farmácia para esta segunda (22/1), pela manhã, e, no dia 24/1, de PLR (Tarde) com o RH da Petrobrás.

Outros pontos discutidos nas reuniões foram a luta contra o injusto equacionamento do Plano Petros 1, a eleição para o Conselho de Administração (C.A.) da Petrobrás e a situação da representante dos petroleiros no C.A. da Transpetro, Fabiana dos Anjos.

ATO CONTRA O INJUSTO EQUACIONAMENTO DO PETROS 1 – Quanto ao equacionamento, a FNP, os sindicatos filiados e as entidades que compõem o Fórum de Defesa da Petros — como Fenaspe, GDPAPE e Federação de Marítimos — vão realizar um grande ato unificado em fevereiro, no Rio de Janeiro, em data a ser divulgada pela Federação. Além de rejeitar a injusta forma de equacionamento do Petros 1, o objetivo da manifestação é pressionar a Petrobrás a pagar a bilionária dívida que a estatal tem com a Petros. Se a gestão Parente assume e pretende pagar, sem qualquer condenação, uma indenização de US$ 3 bilhões a investidores norte-americanos, por que não pode pagar a dívida que tem com os trabalhadores em seu plano de previdência (Petros)? (Vídeo: http://bit.ly/2BdSRTz)

Além do ato unificado, a FNP debateu a situação das ações judiciais movidas por seus sindicatos pedindo, por exemplo, a devida e prévia avaliação tanto do déficit a equacionar quanto das dívidas da Petrobrás, para só então possibilitar um equacionamento correto. São ações do Sindipetro-RJ, do Sindipetro Litoral Paulista (LP) e do Sindipetro São José dos Campos. Este último já ganhou liminar que acaba por suspender o equacionamento.

ELEIÇÃO PARA O C.A. DA PETROBRÁS E DEBATE DIA 24/1 – Sobre a eleição para o C.A. da Petrobrás, a FNP aprovou o apoio a Christian Alejandro Queipo, engenheiro químico que trabalha na empresa desde 2007 e que, para a Federação e sindicatos, é uma candidatura representativa com capacidade de reforçar a luta por uma Petrobrás forte e integrada, contra a privatização e a venda de ativos, o que é importante mesmo nos limites de um C.A. como o da empresa. Um C.A. onde a participação dos trabalhadores, infelizmente, vem sendo cada vez mais restringida pela Lei das Estatais, provocando retrocessos num processo que já não era nada democrático. Na próxima quarta-feira, 24/1, a partir das 17h, no Sindipetro-RJ, o Sindicato vai promover um debate sobre a eleição e o programa a ser defendido por candidatos no campo dos trabalhadores (Leia na página 2).

REPRESENTANTE NO C.A. DA TRANSPETRO TEVE POSSE IMPEDIDA – Em relação à Transpetro, a FNP recebeu a atual conselheira eleita, Fabiana dos Anjos, para debater seus planos de gestão, a luta contra o PL 12.601 e a privatização da TAG. Fabiana foi, estranhamente, impedida de tomar posse por 4 meses, desde sua vitória para o C.A. da Transpetro. Para a FNP, é fundamental lutar pelo mandato de um ano que a categoria deu a Fabiana.

 

Comente com o facebook
Compartilhe:


Aumentar a fonte
Alto Contraste