Após protestos Petrobrás libera acesso de dirigentes sindicais no EDISEN roleta

Após protestos Petrobrás libera acesso de dirigentes sindicais no EDISEN

Depois de proibir o acesso de funcionários com liberação sindical  nas dependências internas do EDISEN, decisão colocada em pratica na última sexta-feira (5), a Petrobrás após receber formalmente um repúdio através de uma carta-ofício do Sindipetro-RJ e da realização de um ato protesto na unidade, terça (9), anunciou que a vedação não tem caráter definitivo, tendo já liberado o acesso interno de diretores do sindicato lotados no prédio.

O informe foi divulgado através de um oficio enviado ao Sindipetro-RJ ainda na tarde de terça. Isso dá a entender que o ato realizado pelo sindicato e a Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) tenha contribuído para o recuo da empresa, após ampla divulgação e repercussão em mídias sociais.

“Como foi informado ao Sindipetro-RJ, a vedação não tem caráter definitivo. Acreditamos que a boa fé negocial e o diálogo que sempre buscamos manter com as representações  sindicais nos direcionem para a negociação e estabelecimento de regras que permitam a continuidade de tom respeitoso e a manutenção de praticas necessárias às boa relações de trabalho” – diz o trecho do ofício assinado pelo gerente de Relações Sindicais, Maurício Lopes Ferreira.

Isso confirma mais uma vez que a categoria através do Sindipetro-RJ exerce seu legitimo direito de ser abordada, consultada e prestar esclarecimentos necessários a qualquer funcionário da Petrobrás que o assim necessite ter, não admitindo qualquer pratica antissindical promovida pela direção da Petrobrás.

Confira o ofício RH-RRH-RS 50.004-18

Comente com o facebook
Compartilhe:


Aumentar a fonte
Alto Contraste