Caso Fórmula: Petrobrás rescinde contrato com prestadora que não pagava os terceirizados Formula Petrobras

Caso Fórmula: Petrobrás rescinde contrato com prestadora que não pagava os terceirizados

Após problemas que culminaram nesta terça-feira (27) com o não comparecimento aos postos de trabalho por falta de recursos para transporte, derivada pelo não pagamento de salário e benefícios aos trabalhadores e trabalhadoras terceirizados da Fórmula, prestadora de serviços de Portaria e Recepção, a Petrobrás anunciou a rescisão do contrato com a empresa.

“A mudança ocorre por conta da impossibilidade de sanar os problemas na prestação de serviços do fornecedor Fórmula Serviços e Construção Ltda, o que levou à rescisão por parte da Petrobrás. A companhia está acompanhando a regularização do pagamento de verbas salariais e rescisórias dos prestadores de serviços” – informa a mensagem destinada à força de trabalho dos imóveis de Brasília e Rio de Janeiro, enviada pela Petrobrás.

Ainda no documento, a Petrobrás informa que os serviços de Portaria e Recepção serão operados em esquema de contingência, e que não haverá serviços de Recepção em andares, com a medida tendo duração de 20 dias.

O problema afetou os seguintes imóveis: EDISE, EDISEN, EDICIN, EDIHB, Ouro Negro, EDIBRA, CENPES, COMPERJ, REDUC, DOCAS, FRONAPE, UTE-GLB, UTE-BLS, ARM-Rio, Estaleiro Inhaúma e Aeroporto de Jacarepaguá (RJ).

Agora, os cerca de 130 trabalhadores e trabalhadoras da antiga prestadora de serviços de Portaria e Recepção aguardam ansiosos em casa para o desfecho da situação e retorno ao trabalho.

O Sindipetro-RJ cobra desde já providências imediatas da direção da Petrobrás para o retorno imediato desses trabalhadores aos seus postos de trabalho, e que a empresa pressione a Fórmula Serviços a regularizar as rescisões contratuais.

Comente com o facebook
Compartilhe:


Aumentar a fonte
Alto Contraste