Cepe- Caxias: O clube não pode fechar!

Infelizmente a história continua com sabor amargo. A gerência não revogou a decisão de fechar o CEPE. Diversas ações foram feitas para que se tenha diálogo e a falta é total.

O pedido feito em reunião da CIPA e o Abaixo−Assinado não foram respondidos, assim como os e−mails que foram enviados, mostrando que o problema da energia elétrica é no cabeamento da REDUC. O assunto não é tratado corretamente nas reuniões e é preciso disponibilizar tempo para essa e outras discussões.

Vale lembrar que não é de hoje que a gestão vem tolhendo a força de trabalho de usufruir o espaço que foi construído para esse propósito, ou seja, para o lazer dos funcionários e funcionamento de agremiação esportiva sem fins lucrativos.

Há anos foi cortado o lanche que era entregue na  portaria  do  próprio  CEPE, inclusive em outras refinarias, o funcionário pode solicitar quentinha ou lanche em substituição ao almoço, posto que o desconto em folha ocorre.

Há o assédio de gerentes, coordenadores e supervisores que ficam controlando os passos dos trabalhadores que vão para o CEPE/PETRA com as ameaças de desconto do ponto, sem deixar a opção de compensar caso ultrapasse o período de jornada para respectiva alimentação e/ou recreação Interditaram o acesso entre o restaurante na passagem até o portão 5 com a desculpa de jacaré.

O que na verdade é falta de cuidado com a vegetação (a REDUC está abandonada com relação a esse serviço). Além disso, foi dito que existe análise de risco para essa interdição por conta desses animais perigosos, então perguntamos o porquê de não interditar toda via norte, diques de tanques, linhas de incêndio e unidades com mato excessivo, pois aí sim tem muitos mais riscos do que aquela pequena travessia que é só fazer a capina e tomar a devidas medidas.

Nesses últimos dias, a Petrobrás anunciou o patrocínio a uma competidora de Fórmula 1 e esse patrocínio é de graça  por  acaso? E os patrocínios   ao   futebol   series  A, B e C,  são de graça também? As festas populares como carnaval, São João, etc. também são de graça? Nos prédios administrativos, como EDISE, SENADO, há academia dentro do próprio  prédio, como  podem  querer  tirar o direito histórico (pago com as respectivas mensalidades) a usufruir desse espaço que está ali para os trabalhadores?

Dentro da refinaria tem diversos vazamentos de vapor, condensado, água, etc., e a preocupação é em cortar  energia  elétrica do CEPE? E para o DETRAN, Bombeiros, Posto da PM, o tratamento é o mesmo?

Onde se sabe, a REDUC fornece energia elétrica e água para esses órgãos, continuando até o momento.

A REDUC não tem atrativo algum, os trabalhadores a cada dia são pegos de surpresa com perdas atrás de perdas, com comida ruim além de ter “conta-bife”, são obrigados a serem alvos-vivos com a questão dos carros blindados, não temos mais banca, lanchonete, acabaram com os eventos de aniversariante do mês, apresentação de resultados, ônibus são desconfortáveis e ainda querer colocar vans. Essa situação é inaceitável!

É importante ressaltar que a diretoria do CEPE não quer o fim do comodato e busca manter o espaço aberto, assim como entregou balanço mostrando que o clube pode se manter com as arrecadações para aí sim fazer um plano de parcerias e angariar fundos adicionais.

Lembramos, também, que a REDUC  na  dissolução  do CEPE, deve mantê-lo aberto para finalidade ao qual foi construído. Ou seja, mesmo que o CEPE resolva fechar, praticamente impossível pois é preciso haver assembleia com aprovação de 2/3 dos associados. E mesmo assim a REDUC tem que manter aberto e em condições.

Reprodução site FNP

 

Comente com o facebook
Compartilhe:


Aumentar a fonte
Alto Contraste