Com atrasos e concentrações, petroleiros mostram insatisfação com proposta de ACT da Petrobrás

Os petroleiros da base do Sindipetro-RJ manifestaram nesta quarta (29) a sua total insatisfação com a proposta de ACT da Petrobrás, que retira direitos históricos da categoria, e com o abusivo equacionamento do Plano Petros. Foi um dia de concentrações e atrasos nas principais unidades, em preparação para a Greve Geral contra as reformas trabalhista e previdenciária convocada pelas centrais sindicais e movimentos sociais para a próxima terça (5/12). Esse é o caminho. O caminho que forçou a Petrobrás a prorrogar o ACT. Agora, é continuar pressionando pela apresentação de uma proposta concreta que atenda às demandas da categoria. A seguir, um resumo das mobilizações nas bases.

CENPES

No Cenpes também houve concentração em frente à unidade, com atraso de 2 horas na entrada e participação dos petroleiros do turno e do administrativo.

Os petroleiros aprovaram que seja cobrada da Petrobrás a apresentação de nova proposta o mais rapidamente possível e, para isso, a categoria continua em mobilização permanente. Nova assembleia acontece segunda-feira 4, às 11h30, na Portaria 1, para organizar a participação na Greve Geral de terça (5/12). Nesse sentido, o dia 5 será encaminhado a federações e sindipetros como indicativo de greve petroleira unificada.

Outras deliberações foram: intensificar a luta contra o rebaixamento salarial e as demissões de terceirizados e, para o ACT 2017, pressionar pela manutenção do Benefício Farmácia.

EDISEN

Os petroleiros do Edisen atrasaram a entrada em 2 horas, na manhã desta quarta-feira 29, decidindo pela suspensão da greve por tempo indeterminado, considerando o cenário de mobilização, mas participando da greve nacional contra a reforma da previdência, na próxima terça (5/12). A proposta é incluir pautas como a suspensão da forma de equacionamento proposto para a Petros e a defesa dos terceirizados, reafirmando a necessidade de que não haja nenhuma perda de direitos no ACT 2017.

Na segunda (4/12), às 12h30, fazem panfletagem na porta do Edisen, convocando para a Greve Geral de 5/12. E na sexta-feira (8/12), ao meio-dia, os petroleiros do Edisen fazem nova manifestação em frente à unidade.

TABG

No TABG os petroleiros fizeram uma concentração pela manhã, com atraso de 1 hora. Eles também aprovaram a manutenção do estado de greve e continuam em assembleia permanente, indicando a participação na Greve Geral da próxima terça (5/12), a partir das orientações gerais da FNP.

TEBIG

Os petroleiros das áreas principal e auxiliar fizeram assembleias, aprovando indicativo de participar das mobilizações para a Greve Geral de 5/12. Neste dia haverá nova assembleia, às 7h30, para decidirem sobre os próximos passos de sua mobilização.

VENTURA

Houve concentração pela manhã, com os petroleiros reafirmando as críticas da categoria à proposta de ACT da Petrobrás. Na segunda-feira 4, a partir das 12h30, eles fazem assembleia para decidir sobre a forma de participação na Greve Geral do dia 5/12.

EDISE

No Edifício-Sede houve concentração pela manhã e ato, na hora do almoço, com os petroleiros reafirmando a necessidade de luta pelo ACT e contra a privatização. Os petroleiros também reivindicaram a democratização na Petrobrás, com a proposta de que os cargos de hierarquia da empresa sejam preenchidos por eleição direta. Houve ainda continuidade da eleição simulada para a presidência da Petrobrás.

NAS OUTRAS BASES DA FNP

Nos demais sindicatos que compõem a base da FNP também houve mobilizações para sinalizar o descontentamento da categoria com a proposta de ACT da Petrobrás e a retirada de direitos. Em Alagoas/Sergipe, foi realizado atraso de 1 hora e serão mantidos os atrasos em todos os turnos, até que se feche um ACT que atenda às demandas da categoria. Na base de Furado (AL), os petroleiros fizeram mais um atraso nesta quinta (30), pela manhã, com participação de turno e administração. Foi aprovada ainda a participação dos petroleiros na Greve Geral do dia 5/12.

Na base do Sindipetro Litoral Paulista, os petroleiros continuam em assembleia permanente. No Pará/Amazônia/Maranhão/Amapá, houve mobilização  no Terminal de Belém (PA), com atraso de 1 hora no HA e de 2 horas no turno, além de assembleia no embarque para Urucu.

Em São José dos Campos houve atraso de uma hora e meia no turno e de 1 hora no HA, também com aprovação de participação na greve geral do dia 5 de dezembro. Em assembleia permanente desde outubro, os petroleiros vêm promovendo atrasos em todos os turnos desde segunda-feira (27).

REUNIÃO DA FNP NESTA SEXTA (1/12) DEFINE PRÓXIMOS INDICATIVOS

A FNP se reúne nesta sexta (1/12), no Sindipetro-RJ, para definir os próximos indicativos e já oficializou à empresa que os petroleiros não aceitarão a enrolação jogar a negociação para o Natal.

 

Comente com o facebook
Compartilhe:
Sem comentários

Poste um comentário

Aumentar a fonte
Alto Contraste