Debate nesta terça (7) às 17h30 sobre Petros

Nesta terça-feira (7) o Sindipetro-RJ, em parceria com a Associação dos Engenheiros da Petrobrás (Aepet) e a Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), promove um debate sobre o equacionamento do plano Petros 1, a partir das 17h30, no Clube de Engenharia, Centro do Rio de Janeiro. O horário foi definido para atender às necessidades, principalmente, do pessoal da ativa, embora o encontro seja aberto a todos os interessados. Os esclarecimentos serão dados pelos representantes dos trabalhadores nos conselhos Fiscal e Deliberativo da Petros, Fernando Siqueira e Ronaldo Tedesco, respectivamente. No encontro serão debatidas as possíveis ações jurídicas que Aepet, Fenaspe e FNP cogitam impetrar para evitar que o equacionamento seja feito da forma proposta pela Petros. O evento será no auditório do 25º andar do Clube de Engenharia (Avenida Rio Branco, 124).

GT vai pedir à PREVIC que adie prazo de equacionamento por 90 dias – Na última segunda- -feira (6), no Edisen, aconteceu a primeira reunião do Grupo de Trabalho (GT) que visa discutir o equacionamento da Petros. Durante a reunião, houve consenso sobre proposta da FNP no sentido de que seja solicitado à Previc o adiamento, por 90 dias, do prazo de equacionamento do plano Petros 1. A reunião também definiu que o GT irá se encontrar duas vezes por semana, as terças e quintas, durante 60 dias corridos. A segunda reunião será na próxima terça (14/11), das 9 às 18h. “A reunião foi fundamental para vermos quais são as reais intenções da Petrobras na discussão do equacionamento”, avaliou Agnelson Camilo, que representa a FNP no GT. Participaram da reunião, além da FNP, representantes da Petrobras (RH), Petros, FUP e Federação dos Marítimos.

Comente com o facebook
Compartilhe:
3 Comentários
  • Sindipetro-RJ
    Postado 16:40h, 08 novembro Responder

    O Sindipetro-RJ e a FNP, junto com FENASP, AEPET e GDPAPE, criaram um Fórum para unificar as iniciativas (jurídicas e políticas) em defesa dos beneficiários da Petros. O objetivo é propor e coordenar ações coletivas, pelos diferentes sindicatos e associações, em defesa de um equacionamento justo, cobrando as dívidas que a Petrobrás tem com os participantes da Petros e, ao mesmo tempo, coordenar as ações individuais e coletivas, a partir do Sindipetro-RJ, para assim impedir descontos abusivos nas aposentadorias e pensões ou o extorsivo desconto das contribuições sobre o pessoal da ativa. Há 14 anos que os sindipetros que compõem a base da FNP vêm lutando contra a repactuação e a nefasta política que gerou a extorsiva forma de equacionamento imposta pela Petros. Assim damos continuidade a essa luta, coordenando as ações coletivas em defesa dos petroleiros. É importante tomar cuidado com falsas promessas ou ações judiciais precipitadas. Por isso procure o nosso Departamento Jurídico. Filie-se ao Sindipetro-RJ e fortaleça essa luta! Fortaleça a FNP!

  • Paulo Cesar
    Postado 09:58h, 08 novembro Responder

    Prezado Severino, também sou aposentado. Creio que neste caso é necessário entrar como uma ação particular contra a Petros. Se você ligar para o atendimento da Petros eles vão lhe dizer qual é a sua margem de consignação para empréstimo. Houve mudanças no cálculo deste limite. Inclusive, rebaixaram o limite e uma das razões foi considerar o desconto referente ao equacionamento da dívida. Então, digamos, que se você tinha um limite de R$3500,00 eles vão lhe informar que o seu atual limite é de R$ 2300,00, por exemplo. Ora, então se você tem uma prestação de empréstimo de R$3200,00, por exemplo, eles não podem descontar este valor. Há necessidade de uma negociação para que sua prestação se enquadre no seu atual limite que lhe será informado pelo atendimento da Petros. Este é um caso que não se pode esperar iniciativa da Petros para resolver. Há, portanto, que se entrar com uma ação judicial para que a Petros cumpra o regulamento e enquadre sua prestação ao limite da sua margem consignável. Lembre-se que eles vão lhe dar a desculpa de que quando vc fez o empréstimo havia margem suficiente. Mas, isso esta previsto no regulamento, ou seja, se os valores do cálculo da margem mudarem e a margem de consignação ficar abaixo da prestação a Petros é obrigada a fazer a adequação. Portanto, prepara alguns mil reais para entrar como uma ação judicial particular.

  • Severino
    Postado 19:11h, 07 novembro Responder

    Meu nome é Severino, aposentado,e tenho empréstimo na petros. Com desconto máximo no meu contrcontracheque.como vou poder honrar meus compromissos com mais um desconto que não estar no meu orçamento. Isto é um abuso de poder por parte destes políticos corruptos, que desviaram esses valores da petros e agora nós que temos que sofrer as consequências? Não concordo.

Poste um comentário

Aumentar a fonte
Alto Contraste