Demissão na Petrobrás foi só cortina de fumaça para mais reajustes nos combustíveis

Governo Bolsonaro obriga a Petrobrás a anunciar mais um reajuste no preço dos combustíveis além da distribuição bilionária de dividendos para seus acionistas

A direção da Petrobrás anunciou mais um reajuste nesta segunda-feira (01/03) de 5% na gasolina e 5% no diesel. Este é o quinto aumento neste ano de 2021.

Isso mostra mais uma vez que o recente anúncio da saída de Roberto Castello Branco da direção Petrobrás pelo governo de Bolsonaro nada mais é do que uma troca de cadeira. O nome da vez é do General Joaquim Silva e Luna, tachado de “nacionalista”, mas que em realidade participa de um governo entreguista.

O fato é que após 10 dias do anúncio da demissão de Castello Branco da Petrobrás nada mudou em relação à política de preços dos combustíveis. O PPI (Preço de Paridade de Importação) continua como diretriz contra a companhia para alegria dos acionistas e especuladores internacionais que faturaram bastante , sem trabalhar , com o sobe e desce dos papéis da Petrobrás no mercado que passou à investigação da CVM para apurar irregularidades.

Até o dia 20 de março teremos dois “bodes na sala” da presidência da Petrobrás, já que o Conselho de Administração (CA) da empresa determinou que Castello Branco cumpra seu atual mandato até a data estipulada. Até lá, o “pato manco” diz que prevalece o plano de desinvestimentos e privatizações da empresa e o PPI.

E o absurdo desta história toda é o Brasil , mesmo tendo a capacidade de produzir mais de três milhões de barris de barris de petróleo (bpd) e de refinar quase totalmente a demanda de nosso mercado em nossas 13 refinarias, a ordem é de vendê-las, como ocorre agora com a RLAM e outras sete unidades, e importar derivados criando empregos no exterior e não no país.

Mais grana para especuladores

No final das contas sempre pesa a pressão do “Deus mercado” e da mídia neoliberal que há tempos sequestraram a Petrobrás, e que aproveitaram a crise para aumentar seus ganhos na roleta do mercado. Um exemplo disto é a informação de que o CA da empresa aprovou que vai distribuir mais de R$ 10 bilhões em dividendos a seus acionistas.

Enquanto o “bode” está na sala a direção, ainda ocupada por Castello Branco, divulga resultados fajutos de 2020 e bombados por privatizações e ajustes criminosos na AMS, além de camuflar sua responsabilidade para com o fundo de pensão Petros.

O Sindipetro-RJ entende que é perceptível que nenhuma mudança no atual contexto da empresa será feita, e muito menos será dado um “cavalo de pau” em todo esse processo, porque em realidade este governo que está aí, que retira direitos dos trabalhadores e que faz da incompetência um projeto de gestão pública, como no caso da pandemia da COVID-19, é apenas um gerente de uma subserviente e covarde burguesia brasileira e dos interesses do capital especulativo internacional que submetem o país a uma recolonização.

Pelo fim da PPI, contra o desmonte e privatização, contra o aparelhamento da Petrobrás por militares e em defesa da vida!

Fora Bolsonaro, Mourão, Paulo Guedes e Pazuello!

Comente com o facebook
Compartilhe: