Desvirtuação e falta de transparência na função de consultoria

Em coerência com o plano de desmonte da Petrobrás, a direção da empresa propôs uma revalidação das consultorias existentes, frente à despriorização de diversas áreas. A filosofia do processo também deixava a entender que novas vagas poderiam ser criadas, em função das prioridades atuais, bem como, dentre as vagas existentes, não havia um compromisso de redução desde que continuassem importantes para a companhia.

Ocorre que determinados gerentes “entenderam” que uma redução compulsória estava na ordem do dia e determinaram, aleatoriamente, um número de corte. Como consequências, tivemos competentes colegas atuantes em áreas de importância para a companhia perdendo suas consultorias sem razão de ser. Por outro lado, sempre houve questionamentos sobre a natureza da função, os critérios para as indicações e suas renovações.

Desvios aconteceram e seguirão acontecendo enquanto não houver transparência e discussão com os trabalhadores sobre nosso plano de carreira, o qual, aliás, a empresa prepara, mais uma vez, sem a devida discussão democrática. A luta contra todas as distorções existentes na companhia só pode ser possível através de um sindicato fortalecido. Sindicalize-se

Versão do impresso boletim 68

Comente com o facebook
Compartilhe:


Aumentar a fonte
Alto Contraste