Direção da Petrobrás inicia venda de 50% de participação no Polo de Marlim na Bacia de Campos

Desmonte prossegue até em área de E&P que segundo a atual direção seria o foco de atuação da empresa, mas pelo jeito não é bem assim. Região produz mais de 200 mil barris de óleo ao dia

Nesta segunda-feira (16), a Petrobrás anuncia em seu site o teaser de venda de 50% de sua participação nas concessões de Marlim, Voador, Marlim Leste e Marlim Sul, denominadas em conjunto como Polo Marlim, localizadas em águas profundas na Bacia de Campos.

De acordo com o gerente-executivo de Águas Profundas, Carlos José Travassos, “o estabelecimento de uma parceria em Marlim permite o compartilhamento de custos e riscos e claro de oportunidades. Esse movimento reforça a geração de caixa, importante não só para a redução da nossa dívida, mas garante os investimentos previstos no plano de renovação da Bacia de Campos”- tentando justificar mais uma ação entreguista da gestão de Roberto Castello Branco, sob as bençãos de Bolsonaro e Paulo Guedes.

O Polo Marlim

O Polo Marlim compreende 4 concessões de produção localizadas na Bacia de Campos. A Petrobrás é a operadora com 100% de participação.

Os campos de Marlim e Voador ocupam uma área de 339,3 km2 e estão localizados em águas profundas, com lâmina d’água que varia entre 400 m e 1.050 m, a uma distância de cerca de 150 km de Macaé, no litoral norte do estado do Rio de Janeiro.

Marlim e Voador compartilham a infraestrutura de produção e, entre janeiro e outubro de 2020, produziram em média cerca de 68,9 mil barris de óleo por dia e 934 mil m3/dia de gás.

O campo de Marlim Leste está situado a uma distância de cerca de 107 km do Cabo de São Tomé, localizado em águas profundas e ultra profundas, com lâmina d’água que varia de 780 m a 2.000 m. De janeiro a outubro de 2020, Marlim Leste produziu, em média, 38,5 mil barris de óleo por dia e 615 mil m3/dia de gás.

O campo de Marlim Sul, está situado ao sul dos campos de Marlim e Marlim Leste, a uma distância de cerca de 90 km do litoral norte do Rio de Janeiro, em águas profundas e ultra profundas, em lâmina d’água que varia de 800 a 2.500 m e produziu em média, de janeiro a outubro de 2020, cerca de 109,6 mil barris de óleo por dia e 2.062 mil m3/dia de gás.

É a gestão da Petrobrás apequenando a companhia e trabalhando para reduzir sua longevidade e minar postos de trabalho. REAGE PETROLEIR@!

Fonte Petrobrás

Comente com o facebook
Compartilhe: