Justiça mantém suspenso PDO na BR Distribuidora

A juíza Gabriela Canellas, do Tribunal Regional do Trabalho, 1ª Região, negou nesta segunda­-feira (26) o pedido feito pela BR Distribuido­ra, e manteve a liminar que suspendeu o Programa de Demissão Optativo (PDO), concedida no dia 19 de novembro. Apesar de manter a liminar, a juíza de­terminou uma reunião de conciliação entre a com­panhia e o Sitramico-RJ, sindicato da categoria de trabalhadores, para a próxima sexta-feira (29).

É preciso alertar aos companheiros das re­finarias para que se atentem ao que está acon­tecendo na BR Distribuidora. A empresa, que recentemente foi privatizada, está implemen­tando um programa de demissões e retirada de direitos. O presidente da BR, Rafael Grisolia, disse em teleconferência aos funcionários que eles só saberão se terão lugar na nova estrutu­ra da empresa após o prazo de adesão ao PDO. Afirmou ainda que poderá haver demissões após o plano e que quem permanecer na em­presa deverá ter sua remuneração adequada aos patamares de mercado.

Se quisermos de fato resistir e defender as refinarias e a Petrobrás como um todo, precisa­mos ter plena consciência da nossa força como categoria e lutar de todas as formas para garan­tir o futuro da companhia e de nossos empregos.Resistir é lutar:

Não à privatização da Petrobrás!

 

Versão do impresso Boletim CLXVII

Comente com o facebook
Compartilhe: