Ocupação Casa Nem sofre com ameaça de despejo e intimidação

A ocupação Stonewall Inn – Casa Nem, localizada na Rua Dias da Rocha, no bairro de Copacabana, Zona Sul do Rio, que conta com 52 LGBTIA+ (lésbicas, gays, bissexuais, transexuais, intersexuais e assexuados. O símbolo “+” representa populações que não se sintam representadas pela sigla) acolhidas e 120 assistidas externamente, em vias de ameaça de despejo,  recentemente sofreu uma tentativa de invasão por dois homens armados na última quarta (15).

“Estamos com uma ordem de despejo / reintegração de posse para o dia 27 de julho, e sofremos uma tentativa de invasão na tarde de quarta-feira (15) por 2 homens armados que se diziam policiais, mas que não portavam mandado nenhum. Chegaram perguntando qual partido apoia a Casa, pois o local tem estado constantemente nas manifestações “FORA BOLSONARO”, e lançamos o grito “ELES NÃO. FORA BOLSONARO , FORA GUEDES E MOURÃO”.
Um deles proferiu ameaças lgbtifobicas dizendo : ‘É por isso que a gente mata logo essas porras’. Atualmente toda noite tem carro da PM em frente ao prédio” – conta Indianare Siqueira, coordenadora da Casa Nem.

Imagem Casa Nem

Instalada em um palacete erguido nos anos 1920, que há pelos 10 anos estava abandonado, a ocupação sofre com o preconceito da vizinhança, como explica Indianare : “o condominio ao lado também resolveu implicar conosco e entrou como amicus curiare (interessado) em uma ação de reintegração de posse, alegando que estamos demolindo o prédio quando na realidade estamos reformando o que estava com reboco e janelas externas caindo na rua em cima de transuentes, efeito do abandono a qual foi submetido por mais de 10 anos” – conta.
O palacete continha obras de arte, e até uma múmia, que foram entregues ao IPHAN e Museu Nacional pelas integrantes da ocupação.

Tempos de necropolitica bolsonarista

Em plena pandemia da COVID-19, que já ceifou mais de 70 mil vidas, segundo dados do Ministério da Saude, jogar pessoas na rua e expô-las ao risco é criminoso e genocida, afirma Indianare.
“Hoje a justiça manda a reintegração de posse em momento de pandemia contra uma ocupação como a Casa Nem porque o desgoverno Bolsonaro não faz nada para proteger temporariamente a população pobre que se encontra nessas condições de moradia.

Esta ocupação da Casa Nem integra a FIST (Frente Internacionalista dos Sem Teto) que presta apoio jurídico no processo do palacete.

No Rio de Janeiro outras ocupações ligadas à FIST sofrem com a ameaça de despejo como a “Unidos Venceremos” no bairro de Santa Cruz, Zona Oeste, que pode jogar nas ruas no mínimo 450 pessoas.
Em situações em que ocorrem despejos, a Casa Nem abre suas portas. “Um exemplo disso é a ocupação Mangueira, proxima a UERJ, em que as máquinas retroescavadeiras destruiram as casas das pessoas e algumas foram acolhidas pela Casa Nem” – cita a coordenadora.

Distribuição de alimentos e máscaras

Indianare informa que neste momento de pandemia a Casa Nem distribuiu mais de 3 mil cestas básicas (cerca se 45 toneladas) e 10 mil máscaras para a população do Rio de Janeiro através de suas redes, com apoio logístico da Coodenadoria Especial da Diversidade Sexual e Secretaria Municipal de Assistência Social da Prefeitura do Rio de Janeiro. “Sempre trabalhamos em conjunto com órgãos públicos que recorrem a Casa Nem para acolher às pessoas.Também atuamos em conjunto com o Conselho Tutelar no acolhimento de crianças com suas mães vítimas de violência bem como adolescentes expulsos de casa” – detalha.

Apoio do Sindipetro-RJ

Desde 2016, quando foi criada, a Casa Nem recebe apoio do Sindipetro-RJ, através do projeto “Prepara Nem”, um curso pré-vestibular gratuito direcionado para LGBTIA+ que
utilizava até o início da pandemia em março último as dependências do Sindicato. Assim, o Sindipetro-RJ se coloca como uma representação sindical que tenta superar o machismo e a homofobia, infelizmente tão presentes em nosso meio.
Tanto a Casa Nem quanto o “Prepara Nem” são projetos orientados pela ONG Grupo Transrevolução.

Como ajudar a Casa Nem

Quem quiser ajudar a fortalecer o trabalho da Casa Nem pode doar para a benfeitoria https://evoe.cc/casanem , ou depositar na conta do Banco do Brasil Ag: 3114-3, conta corrente 18.970-7 – CNPJ: 27.720.290/0001-02,
Grupo Transrevoluçao.

 

Imagem em destaque: Casa Nem (Rio On Watch) / Justificando

Comente com o facebook
Compartilhe: