Paralisação de terceirizados no Cenpes continua nesta quarta(20)

E prossegue a paralisação dos terceirizados das empresas Autvale e Nova Rio lotados no Centro de Pesquisa da Petrobrás (Cenpes), Ilha do Fundão. Parados desde ontem (19) os trabalhadores das prestadoras de serviço denunciam a rotina de demissões sumárias e sem justificativa; sobrecarga de trabalho, e que, por conta disso, 16 trabalhadores passaram mal durante o expediente; de tratamento truculento e possível perseguições entre outras questões.

Nesta quarta-feira (20), na parte da manhã, o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil do Município do Rio de Janeiro (SINTRACONST-Rio)  assumiu as negociações com a empresa Autvale a partir da pauta reivindicada, já que é a entidade sindical representante dos trabalhadores da empresa.

Também, o Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil, Montagem Industrial, Mobiliário, Mármore e Granito e do Vime de Duque de Caxias, São Soão de Meriti, Nilópolis, Magé e Guapimirim (SITICOMMM),  se fez presente com o seu presidente Josimar Campos, o Mazinho, que manifestou apoio a luta dos trabalhadores terceirizados do CENPES.

Já os trabalhadores e trabalhadoras da Nova Rio receberam o Vice-presidente do Sindicato dos Empregados de Empresa de Asseio e Conservação do Rio de Janeiro (SIEMACO-Rio), Gilberto de Alencar, que também expressou o apoio do sindicato às reivindicações dos trabalhadores, que inclui também o pagamento de 30% de adicional de periculosidade e insalubridade suspenso pela empresa.

O Sindipetro-RJ expressa novamente  seu apoio à luta desses trabalhadores e trabalhadoras,  disponibilizando suporte logístico ao movimento, além de intermediar pela abertura das negociações com os respectivos sindicatos e empresas, incluindo a própria Petrobrás.

Comente com o facebook
Compartilhe:
Sem comentários

Poste um comentário

Aumentar a fonte
Alto Contraste