Petrobrás adota tática“placebo” para discutir melhorias no Benefício Farmácia bfazul

Petrobrás adota tática“placebo” para discutir melhorias no Benefício Farmácia

Na última quarta-feira (11) foi realizada uma Reunião da Comissão do Benefício Farmácia (BF) entre a Petrobrás e a Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), na qual foram discutidas melhoras no atual modelo. Mais uma vez, apesar de prestar esclarecimentos, e fazer promessas, a Petrobrás segue sem responder às demandas centrais como:

  • O critério de corte de valor (R$ 150,00) para custeio não deveria ser aplicado a uma caixa ou qualquer outra unidade de medicamento, mas sim à necessidade mensal prevista em determinado tratamento. Ampliação da lista de doenças crônicas (pleiteamos que sejam cobertas doenças como a Epilepsia e o Lúpus);
  • Possibilidade de apresentação de perícias médicas para atestar os casos de doenças que exijam tratamento contínuo, porém não estejam previstas na relação de doenças crônicas estabelecidas como cobertas, entre outros pontos abordados.

Ou seja, são reuniões que não apresentam qualquer tipo de solução e efeito às demandas apresentadas, que podemos comparar  a um remédio placebo, que resolve nada. No próximo dia 25 de abril será realizada mais uma reunião da Comissão do BF.

Versão do impresso Boletim 65

Comente com o facebook
Compartilhe:


Aumentar a fonte
Alto Contraste