Por que você deve participar das mobilizações deste dia 5/12

SOMENTE A MOBILIZAÇÃO PODE GARANTIR OS NOSSOS DIREITOS

A direção da Petrobrás já mostrou que quer mesmo reduzir direitos e garantias dos petroleiros previstos no ACT (como redução do percentual de horas-extras, migração forçada para o vale-refeição, desestruturação do Benefício-Farmácia, entre outros pontos) para satisfazer o governo e os acionistas privados. A única forma de fazê-la recuar é com o aumento da mobilização e pressão geral da categoria.

É PRECISO BARRAR A ABSURDA FORMA DE EQUACIONAMENTO NA PETROS

A empresa quer impor aos petroleiros uma forma de equacionamento que, na prática, joga sobre a categoria o ônus de uma enorme dívida da Petrobrás com a Petros, prejudicando os aposentados. Luta contra a forma de equacionamento do Plano Petros 1 é, por isso mesmo, tão importante e decisivo quanto a luta por um ACT.

A SOBRECARGA DE TRABALHO VEM AUMENTANDO, E O ADOECIMENTO TAMBÉM

Como conseqüência direta da redução de efetivo na Petrobrás, nossas jornadas vêm aumentando e se tornando cada vez mais intensas a cada dia que passa, como provam as seguidas solicitações de dobra nos turnos e as convocações para trabalho nos fins de semana. A empresa reduz efetivos para aumentar seus lucros e joga o ônus sobre nós, petroleiros. Isto tem que mudar.

É PRECISO BARRAR A VENDA DE ATIVOS E O DESMONTE DA PETROBRÁS

A atual direção da Petrobrás implementa uma política de lesa-pátria cuja principal característica, além do desmonte das estruturas da empresa, é a entrega de valiosos ativos ao capital privado (nacional e estrangeiro), como ocorrido no mais recente leilão do pré-Sal. Fortalecer a campanha pelo ACT é fortalecer a luta em defesa da Petrobrás pública e estatal e contra a privatização.

É PRECISO DERROTAR A REFORMA DA PREVIDÊNCIA, QUE AMEAÇA A APOSENTADORIA DOS TRABALHADORES

O governo Temer quer emplacar uma reforma que, se for aprovada, vai impedir que milhões de brasileiros se aposentem, além de reduzir o cálculo de benefícios de outros milhões de trabalhadores, incluindo os petroleiros. O mesmo governo que quer emplacar a reforma foi o que editou a MP 795, concedendo benefícios fiscais a petrolíferas que atuarão no pré-sal e pós-sal, numa renúncia fiscal superior a R$ 1 trilhão. É um deboche.

A PETROBRÁS APOSTA NO ESVAZIAMENTO DAS LUTAS PELO ACT

Apostando na dispersão que sempre acompanha as festas de fim de ano, a direção da Petrobrás tenta enrolar a categoria nas negociações do ACT. Ela prorrogou o Acordo atual, mas ao mesmo tempo não sinaliza com a apresentação de uma proposta que contemple os petroleiros. Não podemos cair nessa. Temos de aumentar a mobilização e exigir uma proposta já!

Comente com o facebook
Compartilhe:
Sem comentários

Poste um comentário

Aumentar a fonte
Alto Contraste