Previna o colapso no trabalho sim, há formas de evitar

Em razão da importância destas orientações para o combate prático ao assédio moral e, consequentemente, combate eficaz ao adoecimento mental provocado por ele, reiteramos sucintamente tais orientações, válidas igualmente para outras formas de violência no ambiente de trabalho:

1) Gere evidências – grave conversas e reuniões com os assediadores e com os colegas de trabalho que testemunham o assédio, pois tais gravações podem, eventualmente, serem utilizadas como provas em ações judiciais, mesmo que tenham sido colhidas sem o consentimento destes (desde que você seja um dos interlocutores). Faça anotações precisas – data, horário, local, testemunhas – sobre os episódios de assédio, guarde documentos que possam evidenciar o assédio, tais como e-mails e conversas de whatsapp;

2) Procure pessoas de sua confiança e relate o que está vivenciando;

3) Procure um profissional que possa analisar se a situação vivenciada por você se configura, de fato, como uma prática de assédio moral ou qualquer outra prática igualmente lesiva aos seus direitos, dentre eles, o direito à saúde mental e;

4) Dê visibilidade ao que está vivenciando

 

Versão do impresso Boletim 182

Comente com o facebook
Compartilhe: