Reta final do PCR: resistir é preciso, não assine!

O prazo final para adesão ao PCR imposto pela Petrobrás encerra-se na sexta-feira (14). O novo plano é nada mais do que aplicação do receituário neoliberal para preparar a Petrobrás para a privatização para entregar a empresa às multinacionais do petróleo já com cargos rebaixados.

Reafirmamos o nosso chamado para a Jornada de Luta, para exigir da Petrobrás um novo plano que ouça seus empregados, com a realização de um processo transparente e democrático. O Sindipetro-RJ mais uma vez alerta que o PCR é prejudicial a toda categoria petroleira , assim como também afirmam os vários conselhos profissionais e sindicatos representantes de diversas categorias que trabalham na Petrobrás.

As direções da FNP e da FUP se reuniram hoje (11), às 10h, e no dia 24 de setembro o TRT vai julgar a nossa ação que pede a suspensão do PCR.

PCR: NÃO ASSINE! VOCÊ NÃO ESTÁ SOZINHO! ARBITRARIEDADE, CONTRADIÇÃO, DESINFORMAÇÃO E ILEGALIDADE

  1. Quase 18% do total da força de trabalho da Petrobrás é de pessoas com função gratificada. Ou seja, do total de trabalhadores que aderiram ao PCR, este percentual não terá impacto em sua mobilidade, já que você certamente não será movimentado pelo Mobiliza Contínuo para o lugar de um consultor ou gerente;
  2. Muitas pessoas que estão aderindo ao PCR têm o projeto de sair da companhia em até 5 anos. Ou seja, isso ajudará a esvaziar o PCR e fortalecer o PCAC, inclusive sua mobilidade;
  3. Adesão voluntária, isonomia e meritocracia? Procura-se! Com verba de 5% destinada ao ANPR daqueles que permanecerem no PCAC e a não participação no Mobiliza Contínuo ferindo o princípio da isonomia, uma vez que existe clara preterição ao funcionário que não aderir ao novo plano, além de colocar em cheque a falácia da meritocracia na Petrobrás. São inúmeras denúncias de assédio que chegam ao Sindicato para a adesão ao “Plano Voluntário”.
  4. Flagrante ilegalidade e burla ao principio constitucional do concurso público ao prever a possibilidade de adesão do funcionário a cargo diverso daquele para qual fora aprovado;
  5. Rebaixamento salarial resultado da política de enxugamento da Petrobrás, associada à legalização da terceirização ampla, geral e irrestrita e do desemprego. Ou seja, se um determinado grupo de profissionais pode desenvolver as mesmas atividades, certamente usarão como base os salários das categorias com os menores proventos para chantagear os demais trabalhadores de nível superior ou técnico a aceitarem salários menores;
  6. O PCR representa uma grande mudança na gestão da força de trabalho e com alto custo para a Petrobrás em período pré- -eleitoral. A Petrobrás como empresa de economia mista pode fazer isso?
  7. Com o acirramento da meritocracia, certamente será muito estimulado entre as lideranças conceder mais de um nível por empregado. Ou seja, o percentual destinado para o ANPR do PCR não representa necessariamente o mesmo percentual de empregados contemplados. Pelo contrário! Além disso, sabemos que o percentual de contemplação de 50% neste ano é mais uma isca do PCR e provavelmente não será mantida.

 

Não se iluda! Na avaliação do Sindipetro-RJ a maior parte das arbitrariedades e ilegalidades do PCR ficarão mais claras quando os dois planos estiverem em pleno funcionamento. Temos muitas lutas políticas e judiciais a fazermos em todo o país!

O prazo do dia 14/09 é o da Petrobrás. O do Sindipetro-RJ e da FNP está apenas começando! Não se renda às ameaças! Você aderindo está abrindo mão de direitos! Vamos à luta! A pauta do PCR continua Petrobrás! E cada dia com elementos mais sólidos para contestarmos!

Lista atualizada de entidades que se manifestaram contra o PCR e apoiam as ações contra o novo plano reenquadramento da Petrobrás.

Veja a nota conjunta no site.

  • Wellington Leonardo da Silva – PRES. DO CONS. FED. DE ECONOMIA – COFECON
  • José Antonio Lutterbach Soares – PRES. DO CONS. REG.DE ECONOMIA DO ESTADO DO RJ – CORECON- -RJ
  • Fernando Siqueira – DIR. DO CONS. REG. DE ENG. E AGRONOMIA DO EST. DO RJ – CREA-RJ E DIR. DA ASS. DOS ENGENHEIROS DA PETROBRAS – AEPET
  • Wagner Siqueira – PRES. DO CONSELHO FEDERAL DE ADMINISTRAÇÃO – CFA
  •  Leocir Dal Pai – PRES. DO CONS. REGIONAL DE ADMINISTRAÇÃO – CRA-RJ
  • Ademar Arrais Filho – PRES. DA COMISSÃO DE ADVOGADO DAS ESTATAIS – CAE E CONSELHEIRO DA OAB-RJ
  • Nelson Félix Lima Neto – VICE-PRES. DO CONS. REG. DE SERVIÇO SOCIAL DO RIO DE JANEIRO – CRESS-RJ
  • Rodrigo Cunha Bertamé Ribeiro – PRES. DO SIND. DOS ARQUITETOS DO EST. DO RJ – SARJ E CONSELHEIRO. DO CONS. DE ARQUITETOS E URNANISTAS DO EST. DO RJ – CAU-RJ
  • João Manoel Gonçalves Barbosa – PRES. DO SIND. DOS ECONOMISTAS DO EST. DO RJ E CONSELHEIRO DO CONS. REG. DE ECONOMIA DO ESTADO DO RJ
  • Edson Machado – PRES. DO SIND. DOS ADM DO EST. DO RJ – SINAERJ
  •  Luiz Rodolfo de Aragão Ortiz – PRES. DO SIND. DOS QUIMICOS E ENGENHEIROS QUIMICOS DO EST. DO RJ – SQEQRJ
  • Álvaro Sérgio Gouvea Quintão – PRES. DO SIND. DOS ADVOGADOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO – SAERJ

 

 

Versão do impresso Boletim LXXXVIII

Comente com o facebook
Compartilhe:


Aumentar a fonte
Alto Contraste