Reunião ACT 2017 em tempo real – Acompanhe!

Na manhã desta  sexta-feira (3) acontece uma reunião do RH da Petrobrás com a Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) e os sindicatos filiados.

De acordo com o documento enviado à Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), a reunião visa dar continuidade ao processo de negociação do ACT 2017. Mas ressalta que a última proposta só será apresenta entre os dias 6 e 10 de novembro. Não por coincidência, último dia de vacância para que as mudanças na CLT (Consolidação das Leis de Trabalho) passem a vigorar.

10:25: Reunião prestes a ser iniciada.

10:34: Abertura – O coordenador da FNP e diretor do sindipetro-RJ, Eduardo Henrique abre o debate : “Esperamos que a Petrobrás nos apresente uma proposta que respeite os direitos dos petroleiros” – disse.

10:38:  “Se cortar direitos vai ter greve!” Adaedson Costa, também coordenador da FNP e presidente do Sindipetro-LP afirma que se a Petrobrás reduzir direitos a greve é inevitável.

10:40: Prorrogação do ACT – José Luiz Marcusso, gerente do RH, faz um aparte no qual informa que o ACT será prorrogado, não tendo a data limite de 10 de novembro mais validade, conforme proposta anterior de Petrobrás.

10:45: Perseguições na Revap –  O diretor da FNP e do Sindipetro-SJC, Rafael Prado reclama de perseguições da gerência da Revap à atividade sindical na refinaria.

10:56: Sucateamento de refinarias e a demissão de 4 petroleiros – Os diretores do Sindipetro-RJ, Luiz Mário e Igor Mendes cobram um posicionamento da empresa sobre o sucamento das refinarias e a questão dos 4 petroleiros demitidos por decisão judicial, respectivamente.

11:04:  Contaminação por Benzeno –  Fabio Melo, diretor da FNP e do Sindipetro-LP pede atenção da Petrobrás sobre a questão da contaminação por benzeno. No dia 18 de setembro, o petroleiro Marcelo do Couto Santos, de 49 anos de idade, faleceu em virtude da exposição ocupacional a hidrocarbonetos e ao Benzeno. Marcelo trabalhava há 30 anos na Petrobrás, como técnico de operação no terminal de Pilões da Transpetro de Cubatão.

11:15: O que virá desta vez? Petrobrás inicia apresentação sobre  ACT, lembrando que a empresa havia informado em ofício que disponibilizaria  uma “última”  proposta a ser apresentada entre os dias 6 e 10 de novembro.

11:30: Alternativa de Custeio para AMS – RH afirma que não está cumprindo a “Relação de Custeio 70×30” e diz que precisam ajustar nisso. Estão sendo apresentadas  formas para amenizar o impacto. “Nós queremos buscar solução”, afirma Maurício Lopes, gerente de relações sindicais da Petrobrás.

11:52: Benefício Farmácia – Empresa apresenta proposta de Tabela do BF no formato coparticipação que será opcional.

11:57: Fim do Auxílio Almoço – A Petrobrás propõe migração obrigatória do Auxílio Almoço para o Vale Refeição/Alimentação a partir de 1º de janeiro de 2018. Não será mais considerado o valor do Auxílio Almoço para cálculo de gratificação de férias, do 13º salário e da remuneração normal. Além disso, a direção da empresa informa que pela atual proposta o programa Jovem Universitário não terá continuidade e o Benefício Educacional  não terá reajuste.

12:10: Fim dos adicionais Amazonas  e Campo Terrestre –  Fim do pagamento de adicional de permanência no Estado do Amazonas a partir de 1º de dezembro de 2017, com indenização no valor médio de R$17.020,78. Fim do pagamento de Campo Terrestre de Produção a  partir de 1º de dezembro de 2017 no valor médio R$13,903,76.

12:15: Reajuste de 1,73% – Reajuste salarial de 1,73% retroativo a setembro de 2017 nas tabelas de salário básico e RMNR; fim da Hora Extra pela Troca de Turno (HETT) e pagamento de 50% nas horas extras.

12:25: Redução opcional da jornada de trabalho – Redução de jornada de trabalho de 8 para 6 horas diárias continua sendo oferecida para os empregos de regime administrativo.

12:29: Demissões via judiciário – A Petrobrás diz que houve desligamento  dos 4 funcionários admitidos por liminar judicial , e que cumpre o que foi indicado por conta de decisão judicial numa ação que ela impetrou para reverter essas contratações. Adaedson Costa da FNP solicita reunião com a empresa para tentar uma solução para o problema.

12:43:  Prorrogação do ACT – Petrobrás anuncia prorrogação do ACT até o dia 30 de novembro.

13:00: Desabafo – A palavra, agora, está com os petroleiros. “A quantidade de perda é muito grande. Só vamos resolver essas questões com greve”, afirma Rafael Barbosa, diretor do Sindipetro-RJ, com relação ao reajuste 0% para o Benefício Educacional. “Como nós vamos manter nossas crianças nas escolas”, questiona.

13:33: Equacionamento da Petros – Vinicius Camargo, diretor do Sindipetro-RJ, afirma que a questão do Equacionamento do déficit da Petros merece estar incluída nas discussões sobre o ACT. “A situação desse plano de equacionamento é absurda da forma como está sendo apresentada pelas direções da Petros e Petrobrás, o que vai acarretar mais perdas aos trabalhadores ” – completou.

13:40: Reunião encerrada – Os representantes da Petrobrás informam que a partir da Pauta de Lutas 2017  e questionamentos feitos pela FNP , sobre a atual minuta da empresa, será apresentada  uma nova proposta até o dia 10 de novembro. A novidade foi o anúncio da prorrogação do ACT atual até o dia 30 de novembro. Agradecemos a sua audiência, até a próxima!

 

 

Comente com o facebook
Compartilhe:
3 Comentários
  • Eleonara
    Postado 15:34h, 05 novembro Responder

    Em tudo que é canto eu vejo a manda da Dolby Digital nota 10000 gostei do blog

  • Paolo Gomes
    Postado 12:20h, 03 novembro Responder

    Na luta, vale o adágio: “um por todos e todos por um”. Existe uma reciprocidade neste dito. De fato, não cabe a qualquer um a exposição ao risco sem a devida coesão, coparticipação, colaboração. É união e nada mais. A palavra é greve, de todos, por todos. Não há um, quando somos todos. Vamos sim, lutar pelo presente futuro.

  • Alexandre Pacheco dos Santos
    Postado 12:07h, 03 novembro Responder

    Difícil fazer greve Nicolini !
    A resposta dos companheiros que trabalham em regime especial é clara:
    Ou os companheiros do regime administrativo aderem o movimento grevista, ou o turno e o sobreaviso não farão greve.
    Em outras palavras, ou todo mundo ganha, ou todo mundo perde….
    Nós do turno e sobreaviso não faremos mais greve por nós e pelo administrativo.
    Chegou a hora de cada companheiro decidir o futuro que quer para si e seus familiares no Sistema Petro­brás !

Poste um comentário

Aumentar a fonte
Alto Contraste