Reunião com MPT – “Medidas de proteção à saúde, ao emprego e aos salários dos petroleiros frente à Pandemia de COVID-19”

O Sindipetro-RJ participou da videoconferência convocada pelo MPT (Ministério Público do Trabalho) no último dia 30, que contou com a participação de outros sindicatos, FNP e FUP.

Um dos pontos remarcados pelos sindicalistas foi a falta de negociação da gestão Bolsonaro/Castello, representados por seus gerentes do RH e do Comitê de Crise (EOR – Estrutura Organizacional de Resposta, que tem insistido em ignorar as apreensões e propostas dos trabalhadores ao tomar erráticas e insuficientes medidas unilaterais, atingindo especialmente trabalhadores embarcados e de turnos, tanto próprios quanto terceirizados. Também foi levantada a situação dos trabalhadores das indústrias privadas.

Esta questão da falta de diálogo é importante ser esclarecida, porque daqui a pouco, provavelmente, será publicado um deptmail informando que “a companhia tem mantido reuniões permanentes com os sindicatos”. No entanto, as poucas e improdutivas reuniões que houve com os gerentes de Bolsonaro não passaram de monólogos para informar a decisão já tomada e às vezes até já publicada na grande imprensa e informada aos empregados.

Os representantes do Sindipetro-RJ reiteraram mais de 15 irregularidades ou insuficiências nas medidas impostas unilateralmente pelos gerentes do RH e EOR para o combate à Covid-19. (Conforme já protocolado na empresa e publicado aqui no site – https://sindipetro.org.br/covid-19-na-petrobras-o-que-o-sindipetro-rj-esta-fazendo/ )

Entre estes pontos, ficou clara a preocupação com temas como as demissões e punições da greve em meio à pandemia, a hibernação de plataformas, a recusa a negociar, alterações de escala e tabela de turno, a falta da testagem, falta de notificação e emissão de CATs, liberação de serviços não essenciais e grupos de risco, monitoramento médico dos embarcados e escala desumana, contratos terceirizados, etc.

O sindicato está recebendo denúncias, inclusive de forma anônima.

FAÇA SUA PARTE: DENUNCIE!

contato@sindipetro.org.br

Para todas as ações do sindicato – destacando aqui o canal com o MPT – é importante apresentarmos dados concretos e detalhados, tais como, dia, hora, local, gerência, empresa, responsável pela ação, número de pessoas atingidas por essa irregularidade, nome dos atingidos e de testemunhas se possível e risco à saúde e segurança. O sindicato está fiscalizando e cobrando descumprimentos do ACT e inobservâncias das orientações de decretos ou da OMS, portanto, aglomerações em filas, refeitórios etc; serviços não essenciais funcionando; recursos de higiene e EPIs não providos; problemas de transporte; não registro de CAT etc.

Comente com o facebook
Compartilhe: