Sindipetro-RJ questiona mudanças operacionais do CNCL-Transpetro

Na última terça (4/8), em complemento à Carta nº 379/2019, o Sindipetro-RJ enviou nova carta (nº 206) à Transpetro para (mais uma vez) alertar sobre as consequências negativas que as mudanças operacionais no Centro Nacional de Controle Logístico (CNCL) poderão acarretar aos trabalhadores da empresa, com impactos principalmente para o CNCL-Gás (que opera a logística de gasodutos e sofreu com a retirada da função de Coordenação de Turno). No documento, o Sindipetro-RJ também lembra que tais mudanças afetaram consideravelmente o CNCL-Óleo, a partir do momento em que houve uma centralização de todas as operações no Coordenador de Turno do CNCL-Óleo (inclusive as do CNCL-Gás), conforme denúncias dos técnicos de operação. A carta frisa ainda que, mesmo diante dos alertas que o sindicato vem ressaltando, relativos ao aumento de carga de trabalho, a Transpetro S/A não se sensibilizou e continuou com a questionável política de reduzir o número de consoles sem apresentar qualquer Plano de Gestão de Mudanças.

O Sindipetro-RJ conclui o documento com a advertência de que, ao promoverem tais mudanças, os gestores da Transpetro responsáveis pelas medidas assumiram para si toda e qualquer responsabilidade que envolva anomalia nos quesitos de QSMS (Qualidade, Segurança, Meio Ambiente e Saúde) decorrente de tal mudança estrutural.

Veja a íntegra do ofício, clicando no link abaixo:

CARTA 206

Comente com o facebook
Compartilhe: