“12 Dias de Cultura & Oprimidos”, quando a arte dá voz a quem é marginalizado e oprimido

A partir desta segunda-feira (21) até o dia 01 de fevereiro, a Política e Formação do Sindipetro-RJ promove o evento “12 Dias de Cultura & Oprimidos” na sede do Sindicato.

Na programação temas importantes que vão debater: Censura, Lei Rouanet, Religiões Oprimidas, Indígenas, Quilombolas, Pretos, LGBTI, Sem Teto, Sem Terra, e  realizar atividades de teatro, cine debates, exibição e venda de artes plásticas, livros, dança, entre outras.

O diretor do Sindipetro-RJ, Luiz Mário faz o convite e conta sobre os objetivos do encontro que será realizado na sede do Sindicato no Centro do Rio de Janeiro, na Avenida Passos, 34.

 

 

“Convidamos a todos, a casa está aberta para recebê-los a partir de 19h desta segunda na abertura oficial do evento que contará com a representação de várias entidades sindicais, dos movimentos sociais como dos Sem Teto, Indígenas, parlamentares entre outros, que vão compor a mesa. Ao final de cada dia de atividades teremos uma roda de conversa. Aliás, essa roda de conversa será importante para definir rumos para se contrapor a esse governo nazista que está aí implantado nas três esferas de poder, municipal, estadual e federal e nos três poderes da República (Executivo, Legislativo e Judiciário). Então precisamos apontar formas de luta e executá-las, não podemos ficar só na defensiva, precisamos partir para o ataque. Essa também uma oportunidade para dar voz aos oprimidos, num momento em que esses oprimidos são calados, tendo cerceado seu direito de fala, de presença, discussão e liderança” – disse.

“12 Dias de Cultura & Oprimidos” é uma oportunidade para os artistas debaterem respostas as opressões que são impostas na realidade de uma cidade que marginaliza a favela e oprime os pobres, como explica o artista  pintor Lucas Araújo.

 

 

 

“Se pararmos para falar de opressão e pensar sobre todas as formas que somos atacados, todos os dias, poderíamos formar um conversas extensa. Mas é importante  termos a oportunidade dessa presença que é ocultada e marginalizada dos negros, moradores de favela e jovens como eu, morador da Maré, no dia a dia nas favelas de uma cidade como o Rio, podendo dar visibilidade a essa resistência através da arte”  – falou Lucas que um dos expositores na mostra.

Quem participa e apresentações:

Mãe Nadia – Umbanda – Religiões e Opressões

Padre André – Religiões e Opressões

Babalaoh Marcelo Monteiro / CETRAB

Hélio Luz – Segurança Pública e Oprimidos

Felipe – Marcha das Favelas – Segurança Pública e Oprimidos

FOB – Segurança Publica e Oprimidos

Ruan – AERJ – Educação e Ditadura

Romulo – Adecefet – Educação e Ditadura

Jaqueline – UFF – Educação e Ditadura

Recc – Educação e Ditadura

Bel Bezerra / UEE – Educação e Ditadura

Emancipa / Educação e Ditadura

Carla Carvalho – Direitos Humanos

Alice Pereira – Visibilidade Trans

Moises Guimarães – Corpos Trans

Damião Chagas e Amaury O da Silva- A Periferia

Julia Xavante – Aldeia Maracanã

Lucia – Censura

Célio Gari – Direito a Cidade e Lixo como Recurso

Economia e Oprimidos – Prof. Heitor

A Literatura Indígena como Território de Luta / Movimento de Esperança – Aline Pachamama

Macaco Águia – Alejandro Venezuelano

Canto – Kae Guajajara

Tupinambás no RJ – Ricardo Ajuricaba

Agroecologia, Florestas e Indígenas – Ricardo Ajuricaba

Contação de Historias Indígenas para Crianças – Mel Coelho,

Impacto do Sistema da Divida no Povo Brasileiro – Paulo Lindsay

Cine Debate – Alma Suburbana e Comida di Pé Sujo – Luiz Claudio Motta

Empresas Publicas Serviços Públicos Aniquilados – Como Afeta o Povo – Andrea Matos, Luiz  e outros

A Opressão aos Aposentados – Jose Bezerra e outros

Genocídio Negro – Andrea Matos e outr@s

Mulheres Reais – Maria Aparecida Pereira dos Santos

Ditadura e Oprimidos – Oprimidos, Partidos, Entidades…

Esquerda e Oprimidos – o mesmo grupamento

Radio e TVs Públicas – Rosa Leal e Carol Barreto, Sind. Jornalistas Profissionais do RJ e Ricardo Alexandria, Sindicato dos trabalhadores das Radios e TVs

Arte Marcial – Piranhas

Criminalização da LGBTfobia – Maria Eduarda Aguiar

Filmes: Distopia do Capital, Dedo na Ferida, O dia que durou 21 anos, a Casa da Moeda, Demissões na Usiminas, Luz para Todos, Batismo de Sangue, O Petróleo Tem que Ser Nosso, O que é o Pré Sal?, Privatizar pra Quê?, Ele Esta de Volta, Depois do Vendaval…

Oficina de Fanzinis – Tavarez Vandal

Luiz Frias – Artista Plástico – Expositor

Jair Baiano – Artista Plastico – Expositor

Lucas Araujo – Pintor – Expositor

Tavarez Vandal – Desenhista Fanzinis

Vassilis Anastassakis Nogueira – Desenhista

FIST

Aldeia Maracanã

Salamandra – Editora / Livraria

Book Look – Editora / Livraria

Cooperativa Jatai / livraria

Livraria Timbuktu

Economia Solidaria

Editora Metanoia

Editora Pachamama

Comente com o facebook
Compartilhe: