25º Grito dos/as Excluídos/as 2019

Neste sábado, 7 de setembro, em paralelo às celebrações da Independência do Brasil, acontece a 25ª edição do Grito dos Excluídos, uma articulação de pastorais da igreja católica e movimentos sociais. Neste ano, o lema será: “Esse sistema não vale. Pela defesa da vida: serás libertado pelo direito e pela justiça”.

Em todos os estados e em cerca de 130 cidades ocorrem mobilizações.  Sob lema justiça, direitos e liberdade, manifestantes se opõem ao desmonte social, crimes ambientais e retirada de direitos.

No Rio de Janeiro, a concentração, tradicionalmente, começa a partir de 9h da manhã, na esquina da Rua Uruguaiana e Avenida Presidente Vargas, no Centro.

Daiane Hohn da coordenação nacional do Grito dos Excluídos falou sobre os 25 anos da articulação do Grito em defesa da classe oprimida e pontuou a construção desta edição na coletiva de imprensa da atividade, na sede da CNBB em São Paulo, na última terça-feira (3).

“Começamos o ano com um crime, reincidente, em Brumadinho, e agora vemos as queimadas na Amazônia. São nove meses passando por notícias que comprovam que este sistema não vale e por isso convidamos toda a população a dar um grito de independência por democracia, soberania, contra a retirada de direitos e pelo direito à vida”, afirma Daiane.

O Sindipetro-RJ, que sediou as reuniões preparatórias do Grito, junto com a FNP estará presente ao ato para gritar contra o desmonte da Petrobrás e a retirada de direitos de seus trabalhadores.Além disso, o Sindicato participou ativamente do  “Pré-Grito” realizado na Praça Sans Pena, na Tijuca, no último dia 24 de agosto.

“Se você é trabalhador, operário, sem teto, sem terra, você é excluído. Fazemos parte de um sistema capitalista que nos exclui a todos. Gritamos pela liberdade do trabalhador, pela liberdade do operário, pela dona de casa, do aposentado e quem vir se aposentar. Chamamos também os petroleiros a participar deste ato” – conclama o diretor do Sindipetro-Rj, Luiz Mário.

 

 

Comente com o facebook
Compartilhe: