Confirmado primeiro caso de COVID-19 no COMPERJ

Terceirizados sofrem com assédio e inaptidão de empresas  para orientar em situações de prevenção e contaminação pelo COVID-19

No COMPERJ, após não tomar todas as providências para evitar o contágio do coronavírus entre os trabalhadores, que estiveram circulando em ônibus lotados e refeitórios, foi confirmado o primeiro caso de COVID-19, sendo um trabalhador terceirizado do consórcio KM e morador de Magé, Ele e todos que tiveram contato com ele, foram afastados do serviço, mas muitos outros ainda estão trabalhando normalmente no COMPERJ.

A medida de afastamento dos trabalhadores dos canteiros só foi tomada após a confirmação do primeiro doente. Foi determinada a volta do trabalhador para casa, assim como todos que vieram com ele no mesmo ônibus e tiveram contato com ele na obra. Em outro caso um trabalhador foi liberado por apresentar sintomas de gripe, *Segundo fontes essa pessoa foi deixada no centro de Itaboraí, enquanto os demais seguiram trabalhando como se nada estivesse ocorrendo.*

Ainda assim, de acordo com os trabalhadores, as condições de trabalho estão longe das recomendações de saúde: a maioria não tem máscaras ou álcool em gel à disposição, há canteiros em que trabalham juntos 2 mil operários, que seguem se aglomerando nos refeitórios.

Após denúncias de funcionários em obras, a Prefeitura de Itaboraí anunciou nesta terça (24) a paralisação parcial de 70% das atividades nos canteiros. Segundo responsáveis por empresas operando no local, trabalhadores serão colocados em férias coletivas para evitar a disseminação do coronavírus.

Em reportagem, publicada no jornal “O Dia”, funcionários relataram que eram mantidos em condições precárias e passíveis de contaminação em alojamentos e no transporte para o local. As reclamações também partiram de parentes de trabalhadores, que convivem com medo de serem infectados. “Eles estão sendo forçados a voltar num ônibus cheio de gente, sendo que nenhum deles recebeu máscara de proteção”, reclamou a esposa de um operário, que prefere não se identificar.

Situação se repete Parque dos Tubos

Já em Imbetiba, Macaé-RJ, no Parque dos Tubos, também fica evidente a irresponsabilidade da a direção da Petrobrás e as demais petrolíferas colocam a vida dos trabalhadores em risco diante da pandemia. Surgem denúncias de operários que trabalham no local que os mesmos relatam terem recebido convocações para voltar ao trabalho nesta quarta-feira (25).

Essa é mais uma mostra de como essas empresas colocam a vida em segundo plano em defesa lucro a qualquer custo. Obviamente que esse tipo de comportamento é derivado e reforçado como no discurso de Bolsonaro que na noite desta terça (24) chamou a pandemia do COVID-19 de “gripezinha”. Em períodos de crise como esta os patrões mostram a sua verdadeira face

 

Fonte O Dia

Comente com o facebook
Compartilhe: