Mais essa: Petrobrás pretende reduzir projeto do complexo petroquímico (COMPERJ) a uma UTE

Notícias publicadas na mídia especializada dão conta da intenção da Petrobrás em transformar o Comperj em uma Usina Termoelétrica.

Se não bastasse o anúncio da venda de oito refinarias, essa é mais uma ação de desmonte da empresa perpetrada por seu presidente, Roberto Castello Branco e governo Bolsonaro, que justificam isso em favor de um “incentivo à livre concorrência”. Já uma contradição em termos. Pois é preciso lembrar que, desde 1997, com a aprovação da Lei 9.478, no governo de FHC, a Petrobrás não possui legalmente o monopólio do setor. Ainda, mais, cabe perguntar: por que nenhuma empresa petroleira estrangeira construiu sequer uma básica refinaria no Brasil após 1997? Por que não vieram concorrer com a Petrobrás sem proteção e incentivo dos Governo brasileiro e estrangeiros?

Ao se confirmar essa notícia de desistência da direção da Petrobrás em construir a refinaria do Comperj, e transformando-a em UTE, os chineses da CNPC, sócios em menor parte no projeto original, podem assinar o destrato. Fica o sonho e perde-se o futuro de empregos e dignidade.

Versão do impresso Boletim CXIX

Comente com o facebook
Compartilhe: