Petroleiros próprios, terceirizados e desempregados da Ilha em mobilização no TABG

Atividade transcorreu com atraso dos terceirizados por meia hora e ato com Assembleia Setorial, contando com a presença de ex-terceirizados desempregados que moram na região que cobram por oportunidade de trabalho em futuras vagas a serem abertas no terminal

Em continuidade ao calendário das setoriais, os trabalhadores do Terminal Aquaviário Baía da Guanabara (TABG) realizaram na manhã desta quinta-feira (17/06) uma atividade ato em que terceirizados realizaram um atraso na entrada da troca de turno de 30 minutos.

Nas pautas locais a redução do efetivo; Assédio de gestores; negociação para treinamento da brigada de incêndio; informes sobre a atuação do Sindicato; contingenciamento banco de horas, com pagamento somente da metade trabalhada; aglomeração na entrada do expediente e nas lanchas de transporte; a questão da alimentação no local, entre outros pontos importantes.

O encontro também pautou a participação da base no 19J-Fora-Bolsonaro, que será realizado no próximo sábado (19/06), no Centro do Rio, e também as mobilizações puxadas pelas centrais sindicais que ocorrem nesta sexta-feira (18/06). A situação da categoria diante do contexto de desmonte e privatização e ataques aos direitos dos trabalhadores e perseguições e punições dentro do sistema Petrobrás. A importância de construir uma mobilização nacional, com um chamado à FUP pela unidade petroleira para construção de um Fórum Nacional para organizar uma paralisação nacional da categoria, tema fundamental para a categoria enfrentar todos os desmandos da direção da Petrobrás e do governo Bolsonaro. Além do apoio e solidariedade à luta dos trabalhadores da Petrobrás Biocombustíveis (PBIO) e a greve dos companheiros da operação da Petrobrás em Alagoas. Também foi debatida a exigência da vacina para todos e o auxílio emergencial de R$ 600.

Os petroleiros do TABG também expressaram seu apoio a luta contra o processo de privatização da Eletrobrás e a luta de seus trabalhadores na defesa de seus direitos e empregos.

Ainda na manhã desta quinta ocorreu uma setorial no GASLUB. Na quarta (16/06) foram realizadas com o pessoal das plataformas do Pré-Sal no Aeroporto de Cabo Frio-RJ, nesta setorial a gestão da Petrobrás impediu a realização do encontro nas dependências internas do aeroporto. Também aconteceu uma setorial com os trabalhadores do TEBIG, em Angra dos Reis-RJ. Nesta sexta-feira ocorreu pela manhã uma setorial no CENPES, com a programação prosseguindo na próxima semana.

Atividade no CENPES nesta sexta (18/06)

Em busca de uma chance

A setorial também contou com a presença de 100 ex-trabalhadores terceirizados do terminal que moram na região, e que ainda buscam recolocação no mercado de trabalho. Eles reivindicam que 70% das vagas sejam disponibilizadas para terceirizados no TABG sejam preferencialmente destinados aos moradores da região. O movimento, que é capitaneado pela Associação de Moradores Jardim Duas Praias, conta mão de obra especializada como caldeireiros, soldadores, pintores

“A classe trabalhadora tem que ensinar o país. Não é possível a galera que está desempregada continuar em casa. Esse movimento que está acontecendo aqui é pra alertar sobre o que está acontecendo” – disse J.P Nascimento, diretor do Sindipetro-RJ.

Comente com o facebook
Compartilhe: