Araucária Nitrogenados demissões mobilizam a categoria

A decisão do fechamento da Araucária Nitrogenados (ANSA), no estado do Paraná, em 14 de janeiro, pela direção da Petrobrás acarretará em 396 demissões de empregados próprios, que segundo a direção da empresa serão homologadas no prazo de 30 a 90 dias. O sindicato local enfatiza que a postura da Petrobrás fere todo o princípio ético na relação negocial entre entidade de classe e empresa, como também descumpre o Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) de 2019, documento referendado pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST) e que proíbe demissão em massa sem prévia discussão com a entidade sindical. Nos próximos dias, o Sindicato tentará reverter a medida junto aos órgãos competentes, como o Ministério Público do Trabalho (MPT) e o Tribunal Superior do Trabalho (TST).

O fato é que o anúncio de fechamento só agrava o clima de terror entre os empregados do Sistema Petrobrás, que observam com apreensão o que acontece na BR Distribuidora que segue demitindo após o seu Programa de Demissão Optativa (PDO). Somando o número de adesões ao programa e as demissões sumárias já se chega a mais de 1.780 trabalhadores e trabalhadoras demitidos, após a privatização da subsidiária.

Os sindicatos petroleiros filiados à FUP seguem aprovando a realização de uma greve por tempo indeterminado a partir de 1º de fevereiro. Vamos ver se finalmente a dita federação fará um enfrentamento de verdade contra o desmonte do sistema Petrobrás e se livrará das amarras partidárias que a impedem de priorizar a categoria ao invés de um projeto eleitoral.

 

Versão do impresso Boletim 184

Comente com o facebook
Compartilhe: