COMPERJ: reposição forçada é criticada

Em assembleia na quinta-feira, 07/02, petroleiros do Comperj de­cidiram pela antecipação diária em 15 minutos nos horários dos ônibus, para reposição de horas em função dos dias forçosamente não trabalhados.

Apesar da decisão da assembleia, a falta de opção foi duramente critica­da por todos, já que não existe a opção de comparecer ao serviço porque o local de trabalho simplesmente não abre (por exemplo dias em que são ofi­cialmente meio expediente e a empresa decreta que não haverá expediente e as horas não trabalhadas serão descontadas no banco de horas).

Mais dois itens fizeram parte da pauta da assembleia. Foram repassados, pela diretoria do Sindipetro-RJ, informes sobre a mobilização para o dia 20 contra a reforma da Previdência e a retirada direitos dos trabalhadores con­vocada pela centrais sindicais (haverá ônibus do Sindicato para São Paulo), e, também, serão realizadas duas reuniões com o jurídico, uma no Comperj e outra na sede da Avenida Passos, para detalhamento da fase de execução do processo de horas in itinere.

Versão do impresso Boletim CVIII

Comente com o facebook
Compartilhe: