Desmonte da Petrobrás: Castello Branco avança na doação da PBIO

Sem esperar a decisão do STF, que a pedido do Congresso Nacional julga a criação e venda de subsidiárias sem autorização do legislativo, a direção da Petrobrás anunciou nesta quarta-feira (30/09), o início da fase vinculante referente à venda de sua subsidiária integral Petrobras Biocombustível S.A. (PBIO). E assim, segue o cumprimento ao projeto entreguista do governo Bolsonaro

Com isso, os potenciais compradores habilitados para essa fase vão receber uma carta-convite com instruções sobre o processo de desinvestimento, incluindo orientações para a realização de due diligence e para o envio das propostas vinculantes.

Ativo estratégico sendo usurpado

A PBIO foi fundada em 2008 e é uma das maiores produtoras de biodiesel do país com 5,5% de market share em 2019. Possui três usinas de biodiesel localizadas em: (a) Montes Claros, no estado de Minas Gerais, com capacidade produtiva de 167 mil m3/ano; (b) Candeias, no estado da Bahia, com capacidade produtiva de 304 mil m3/ano, e (c) Quixadá, no estado do Ceará, em estado de hibernação, com capacidade produtiva de 109 mil m3/ano.

As três usinas são capazes de utilizar uma mistura de até 5 matérias-primas diferentes (óleo de soja, de algodão e de palma, gordura animal e óleos residuais) para produção de biodiesel, capturando vantagens na dinâmica sazonal dos preços.

A transação consiste na venda de 100% das ações da Petrobras na PBIO, incluindo as três usinas de biodiesel, e não inclui a venda da participação societária da PBIO na BSBios Indústria e Comércio de Biodiesel Sul Brasil S.A. (50,0%). Conforme divulgado ao mercado, em 10 de julho de 2020, a PBIO concluiu a venda da sua participação de 8,4% na empresa Bambuí Bioenergia S.A. para a Turdus Participações S.A.

Campanha contra a venda da PBIO

A FNP e seus sindicatos filiados estão com uma campanha de coleta de assinaturas contra a venda da PBIO.

A consequência desta venda será a redução drástica do investimento em energia renovável; entre outros absurdos. Precisamos parar já esse desmonte. Assine a petição e diga não ao entreguismo!

www.bit.ly/petrobrasdopovo

 

Comente com o facebook
Compartilhe:
Tags: