Dia Nacional de Luta pela AMS, ACT , contra o desmonte da Petrobrás e a Reforma Administrativa

Atividade integra a Semana de Luta em Defesa do Povo Brasileiro e Contra as Privatizações

Na próxima quarta-feira (30) será o Dia Nacional de Luta em Defesa da AMS, ACT e da Petrobrás, contra a Reforma Administrativa. As bases da FNP vão realizar protestos nas refinarias, terminais, usinas e aeroportos, plenária virtual para quem atua por teletrabalho e outras atividades conjuntas com os servidores públicos.

A FNP está organizando manifestações presenciais nos cinco sindicatos. No Rio de Janeiro, estão convocados atos nos terminais, refinarias e aeroporto de Jacarepaguá. Tudo com cobertura ao vivo.

É preciso ter a compreensão de que grande parte dos direitos dos empregados da Petrobrás se equiparam aos dos servidores públicos, até por conta da estabilidade e do acesso por concurso público, e ,certamente, essa Reforma Administrativa de Bolsonaro e Paulo Guedes vai afetar os petroleiros. Por isso, além de defender os servidores públicos devemos defender o patrimônio público que são as empresas estatais, como a Petrobrás.

Ainda na quarta, a partir de 16 H,  está programado um ato na Candelária o “Diga Não a Reforma Administrativa” promovido pelo Fórum Unificado em Defesa do Serviço Público. A organização do ato pede para que as pessoas compareçam de máscaras e álcool gel.

Já no sábado (3 de outubro) será realizado um abraço simbólico ao EDISE, a partir de 10 H.

Julgamento de ação sobre criação e venda de subsidiárias sem autorização do Congresso

Estas atividades ocorrem no mesmo dia em que em vai acontecer no Supremo Tribunal Federal (STF), o julgamento em plenário de uma medida cautelar propostas pelo Congresso Nacional que contesta a criação de subsidiárias para vender ativos sem autorização legislativa.

A orientação é que os trabalhadores intensifiquem as manifestações nas redes sociais, massificando a hashtag #PetrobrásFica. Às 14h, horário previsto para o início do julgamento, as entidades sindicais e movimentos sociais farão um tuitaço, mobilizando trabalhadores, estudantes, militantes, parlamentares, juristas para que a hashtag tenha visibilidade nacional.

A ação reivindica a suspensão imediata do processo de venda das refinarias, contestando o desvio de finalidade cometido pela gestão da Petrobrás, ao transformar as plantas em subsidiárias com o objetivo de privatiza-las, sem autorização do legislativo. Caso seja obtida, a liminar prevalece até o julgamento de mérito da reclamação.

 

 

Comente com o facebook
Compartilhe: