Economizando na emergência

O Sindipetro-RJ está apurando denúncias sobre a redução de profissionais de saúde para atendimento de emergência em Unidades Operacionais da Petrobrás. A situação é bastante preocupante e caso seja confirmada, expõe os trabalhadores e trabalhadoras a situações de risco. Semana passada, segundo nos foi narrado, uma pessoa esperou por mais de 1h30m pelo atendimento, no Edifício Senado, o maior prédio administrativo da Petrobrás no Rio, porque só tinha um médico no local, que estava realizando outro atendimento. Ou seja, se duas pessoas tiverem uma situação de emergência grave ao mesmo tempo, como um infarto, uma delas pode morrer.

(Versão do impresso Boletim 59 do Sindipetro-RJ)

Comente com o facebook
Compartilhe: