Falconi fecha as garras nas estatais

 

Vicente Falconi é chamado por revistas do mercado financeiro de “Guru das Estatais” e sua empresa de consultoria coleciona casos de contratos sem licitação. Nascido em Niterói, Falconi começou sua carreira empresarial em Minas Gerais. Entre seus grandes clientes corporativos se destacam a Ambev e a Gerdau.

Sua empresa realizou contratos com diversos governos estaduais e prefeituras, sempre em nome da racionalização dos gastos públicos. Entre os contratos fechados por Falconi, destacam-se os assinados com os governos de Minas Gerais (Aécio), São Paulo (Alckmin) e Rio de Janeiro (Sérgio Cabral). Segundo reportagem da revista Época, “Ainda na época da campanha, Cabral teve um encontro com Gerdau e Falconi. Gerdau lhe disse: “Se você ganhar a eleição, gostaríamos de oferecer ao governo do estado os serviços do professor Falconi, através do MBC”. Cabral respondeu: “É tudo que eu quero”. Vencida a eleição, ainda na fase de transição entre os governos, foram feitas as primeiras reuniões”.

Em Pelotas, o contrato de R$ 2 milhões entre a prefeitura de Pelotas (Eduardo Leite, PSDB) e a Falconi Consultoria foi suspenso por decisão judicial (2015). Em Foz do Iguaçu, o contrato de 4 milhões também foi fechado sem licitação pelo prefeito Reni Pereira (PSB), preso pela Polícia Federal em 2016 acusado de corrupção e peculato.

Em Campinas, a Falconi foi contratada em 2014 sem licitação para um projeto de organização da gestão de escolas públicas. Professores, servidores e estudantes iniciaram o movimento Fora Falconi, com atos nas escolas.

Ligações perigosas – As antigas e estreitas ligações entre o empresário Jorge Gerdau e Vicente Falconi o levaram ao governo federal. Falconi tem participado das reuniões e jantares de empresários com o governo Temer, mas sua presença no Palácio do Planalto já era conhecida.

Jorge Gerdau foi chamado por Dilma para integrar a Câmara de Políticas de Gestão, Desempenho e Competitividade (CGDC), órgão consultivo da Presidência, formado para “racionalizar a administração, enxugar desperdícios”. O anúncio de Gerdau para a Câmara foi anunciado de forma entusiasmada pelo então empresário João Dória, em evento empresarial realizado em 2011.

Gerdau recomendou o amigo de várias décadas para prestar consultoria no Ministério do Planejamento, nos Correios e na Infraero. Os três contratos, no valor somado de R$ 59 milhões, foram fechados sem licitação.

Através de sua organização civil sem fins lucrativos, Comunitas, fechou em fevereiro de 2017 um acordo de cooperação com a prefeitura de Porto Alegre. A Comunitas recrutou a empresa fundada por Vicente Falconi para fazer o trabalho “sem custos” para a prefeitura. A intermediação da Comunitas para o fechamento de contratos com a Falconi já foi motivo de denúncia em diversas cidades, onde a Falconi é chamada para “parceria técnica”, driblando a exigência de licitação, já que a contratação oficial é de uma ONG.

Parente prestigia – Há alguns anos a Falconi realiza o Congresso Anual Movimento Falconi, com debates sobre a eficiência da gestão empresarial. Em dezembro de 2016 o presidente da Petrobras Pedro Parente foi um dos convidados do evento, junto com os presidentes do Banco do Brasil, Paulo Caffarelli, e da Eletrobrás, Wilson Ferreira Júnior. Temer estava na programação, e receberia o “Prêmio Líder do Brasil 2016”, mas cancelou na última hora por problemas de agenda.

Segundo reportagem do Estadão “Presidentes de Petrobrás, BB e Eletrobrás são sabatinados em evento fechado”, de 14 de dezembro de 2016, um dos temas principais foi “privatizações”. Lembrando que a Falconi também foi contratada pela Petrobrás sem licitação.

 

Comente com o facebook
Compartilhe:
Tags: