Petrobrás, para não ficar muito “mal na fita” , divulga programa de subsídios ao gás de cozinha

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on email

Conselho de Administração da companhia anuncia programa de 15 meses para reduzir preço do GLP à parcela dos mais carentes

A Petrobrás anunciou que lançará um programa de subsídios do gás de cozinha. A empresa vinha sob a pressão da sociedade, também pelo exemplo, tanto do Programa de Solidariedade Petroleira, do Sindicato dos Petroleiros (Sindipetro-RJ) – que distribui cestas básicas e subsidia a compra de gás de cozinha em comunidades carentes, quanto, pela ação no país , realizada pela Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), que promoveu no último dia 02/09, o Dia Nacional do Gás, a preço justo, que denunciou a absurda política de Paridade de Preços de Importação (PPI), que Bolsonaro/Mourão impõem contra toda a população a partir de quem nomeiam como seu presidente da Petrobrás e seus representantes no Conselho de Administração da Estatal.

Veja como atua e contribua com a Campanha da Solidariedade Petroleira

Contraditoriamente, depois de ter entregue a LIQUIGÁS em privatização, bem como as empresas transportadoras de gás, detentoras de gasodutos (NTS e TAG), isto é, ter saído de grande parte do setor, ela informa que lançará um programa de subsídios, que ao fim e ao cabo, manterá o lucro do cartel de 4 empresas que dominam 92% do mercado de gás, bem como manterá os preços abusivos contra grande parte da população. De fato, subsidiará o lucro abusivo dos concorrentes.

Quebrar o cartel e o Preço de Paridade de Importação é que vai beneficiar a população de conjunto. O resto, reduz o massacre de parte dos mais pobres, mas não dá a solução certa para o problema. Basta! Fora Bolsonaro e Mourão! Fora Silva e Luna! Fora vagabundos e incompetentes!

Não dá pra falar em responsabilidade social se confisca aposentadoria, exclui próprios e terceirizados dos planos de saúde, corta os recursos e parcerias culturais, sociais e ambientais, a exemplo do projeto TAMAR, dentre muitos outros!

PPI que mata donas de casa

A verdade é triste, pois diante de tamanha carestia, as pessoas , por falta de condições para comprar um botijão de gás de cozinha, que já custa mais de R$ 100, se veêm obrigadas a improvisar fogareiros, utilizando álcool, por exemplo, se expondo ao risco de acidentes, e até de vida, como aconteceu com a dona de casa Geisa Estefanini em Osasco-SP, que no último dia 02/09, sofreu queimaduras de terceiro grau em enquanto fazia comida e a mamadeira de seu bebê de sete meses, que também se queimou no acidente por estar no colo da mãe. O triste desfecho desta história, tão comum no momento para tantos brasileiros e brasileiras, foi que Geisa não resistiu aos ferimentos, falecendo na segunda-feira (27/09).

Certamente, preocupados com os prejuízos eleitorais e financeiros para as pretensões de Bolsonaro e de seus acionistas, respectivamente, com a imagem negativa que está sendo sedimentada quanto ao governo e a própria gestão neoliberal Petrobrás, por toda a insensibilidade social, a direção da empresa resolveu distribuir “sua esmola” para a cada vez mais empobrecida população brasileira, para não ficar tão mal nas fotos dos jornalões.

É evidente que a Petrobrás está sendo usada como instrumento do Governo Federal para reforçar as ações ideológicas genocidas de Bolsonaro e Guedes. O descarte de vidas, como está sendo exposto na CPI do Genocídio da COVID-19, também se dá na adoção de medidas que fazem com que a Petrobrás deixe de atuar no processamento de petróleo e gás (GLP e GNV), deixando para as já conhecidas empresas imperialistas, que obtêm lucros cada vez maiores às custas do sacrifício dos brasileiros , que pagam por preços dos combustíveis como fossem importados.

A direção da Petrobrás, com seus militares apaniguados de Bolsonaro, teve que reconhecer que está metendo a faca no peito da população e tomando recursos alimentares dos mais pobres com a absurda política de cobrar a preços de insumos importados, quando boa parte de seu custo é em real, e o povo ganha em real, um verdadeiro saque! Grande parte dos trabalhadores está sem emprego . O índice chega aos 13,7%, o que representa 14,1 milhões de pessoas, segundo dados recentes do IBGE.

Até os chamados empregos precários já são afetados pela política de preços da Petrobrás, basta ver o que está ocorrendo com motoristas de aplicativos de transporte e entregas. De acordo com a Associação de Motoristas de Aplicativos de São Paulo (Amasp), 25% dos motoristas de aplicativo deixaram de trabalhar para a plataforma desde o início de 2020, por causa dos sucessivos reajustes dos combustíveis.

A tática da desinformação

Para maquiar esse projeto de descarte de vidas, aplicado a partir do uso da Petrobrás, a grande mídia burguesa esconde de baixo do tapete um dos principais responsáveis pela crise, o minstro da Economia, o Sr. Paulo Guedes. O ministro ,, na visão desta mesma mídia , parece não fazer deste governo, sendo sempre eximido do fracasso econômico que promove junto com Bolsonaro. São sempre destacadas suas vãs promessas de privatização da Petrobrás, que já está acontecendo em partes, tendo sido entregues mais de R$ 231 bilhões em ativos da empresa, que suscitam variações no mercado financeiro.

Por fim, essa mesma mídia burguesa segue vendendo o “peixe” neoliberal, e distorce a realidade quando diz que o atual nível de preço do gás de cozinha é o menor dos últimos 20 anos, ao ser comparado com o salário mínimo, mostrando a clara intenção de minimizar os efeitos danosos da PPI para a população, em clara desonestidade intelectual. Ora, segundo um levantamento recente do DIEESE (Departamento Intersindical de Estatistificas e Estudos Socioeconômicos), somente o preço do botijão de gás apresenta, só no ano de 2021, uma alta de 31,4%, já durante a pandemia (01/03/20 até o momento) registra um aumento de 41,3% e durante todo o governo Bolsonaro uma variação de 42,6%.

Esses jornais esquecem ou omitem que o real é uma das moedas mais desvalorizadas do mundo, tendo já desvalorizado 19%, segundo um recente estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV), tratando-se de uma das mais longas séries negativas desde a década de 1980. Essa desvalorização incide diretamente na na formatação de preço a partir da PPI.

Confira o dito fato relevante –  Petrobrás amplia áreas de atuação social 

Destaques