Manifestações nesta segunda contra a reforma da previdência

Contra a Reforma da Previdência e o presidente Michel Temer, milhares de trabalhadores e trabalhadoras de diversas categorias foram às ruas hoje (19) em vários estados brasileiros. Atos, paralisações e manifestações ocorreram durante todo o dia e início da noite.

No Rio, o protesto também foi contra a intervenção militar. Pela manhã, trabalhadores da construção civil, metalúrgicos e petroleiros de Caxias realizaram uma atividade na Reduc. Bancários e bancárias fecharam agências do centro da cidade. Na Praça XV e na Central do Brasil, as panfletagens iniciaram às 6h da manhã. Também foi realizado ato nos acessos ao aeroporto Santos Dumont com a participação de centrais sindicais, movimentos de sem teto, professores e trabalhadores da educação, trabalhadores da Cedae e das áreas de saneamento. No interior, trabalhadores rurais bloquearam várias estradas contra a Reforma da Previdência e deram o recado: “Reforma, só se for agrária!” As manifestações terminaram com uma grande passeata da Candelária até a Cinelândia, iniciada com chuva, após às 18h.

Em São Paulo, onde milhares de pessoas se concentraram em frente ao MASP, a rodovia Presidente Dutra e a Avenida Interlagos chegaram a ser fechadas pela manhã. Diversos aeroportos como Congonhas, em São Paulo, Salgado Filho, em Porto Alegre e JK, em Brasília, tiveram manifestações e paralisações. Também ocorreram trancaços, entre outros estados, no Piauí, Salvador, Belo Horizonte e atos na frente de diversas regionais do INSS.

Nas redes sociais, a mobilização foi amplamente divulgada através da hashtag #QueroMeAposentar.

Comente com o facebook
Compartilhe: