Negociação de ACT: Petrobrás segue intransigente

Atualizado às 12h47 – 18 de junho de 2019

Novas reuniões ocorrem hoje, terça-feira (18), e amanhã, quarta-feira (19)

Na reunião de quarta-feira (12) com a FNP e a FUP, a repre­sentação da Petrobrás reafirmou sua intransigência ao negociar com a categoria a partir dos pre­ceitos adotados na reforma Tra­balhista, impondo uma agenda neoliberal que não respeita nem os direitos históricos conquista­dos pelos petroleiros ao longo de anos de luta, nem a representa­ção sindical e a força dos traba­lhadores.

“Este acordo coletivo está duro, a empresa veio preparada com uma pauta que adota as no­vas leis e regras que prejudicam o trabalhador. Nas reu­niões do nosso ACT colocamos em mesa a suspensão momentânea da implantação de novas tabelas de turno e o estabeleci­mento da necessária negocia­ção sobre o assunto. Por isso, é fundamental e imprescindível a participação da categoria nas as­sembleias e mobilizações” – disse Adaedson Costa da FNP.

AMS – As federações reafirma­ram que a Petrobrás está des­cumprindo o Acordo Coletivo e exigiram que os gestores resol­vam o problema que criaram, ressaltando que o pleito dos trabalhadores é que a empresa suspenda o desconto, faça as de­voluções e negocie alternativas, com base nos reais custos da AMS, que até hoje não foram in­formados à categoria.

Outro absurdo rebatido em mesa pelas direções sindicais fo­ram os comunicados que o RH vem enviando aos aposentados, ameaçando cortar a AMS, se não fizerem o recadastramento den­tro do prazo estabelecido pela empresa.

Confira o vídeo feito como os coordenadores da FNP e FUP após as atividades desta quarta.

 

 

Comente com o facebook
Compartilhe: