O desmonte da UP não é mentira!

Na era do discurso de ódio já oficializado pela presidência do país, a direção da Petrobrás adota a conduta dos seus chefões em Brasília de forma rotineira , quando habitualmente desqualifica fontes, notícias, dados e estudos confiáveis. Institutos como IBGE e INPE , e até o relatório da Comissão da Verdade , foram considerados como fontes de “balela” pelo presidente da República.

O informe sobre o desmonte da biblioteca da Universidade Petrobrás – UP, localizada no EDICIN, no Rio de Janeiro, assim como do Espaço Terra e Petróleo não pode ser considerado notícia falsa ou fake news, como a direção da empresa está querendo convencer aos incautos desavisados. O Sindipetro-RJ reproduziu aqui informes de trabalhadores da base da unidade, gente que está lá diariamente executando seu trabalho como empregado da companhia, e que assiste de forma estupefata o que estão fazendo com a memória da Petrobrás.

A empresa informa que está transferindo o Espaço e o acervo da biblioteca para o EDIHB e que isso seria um processo planejado, feito de forma cuidadosa. Ora, as fotos as quais tivemos acesso negam esta versão.

Além disso, mais uma vez reafirmamos que empregados foram convidados a pegar os livros que quisessem e os volumes únicos seriam levados para o EDISE, sendo que as cópias de monografias seriam trituradas. O destino dos CDs e DVDs do acervo, ninguém sabe. Para variar, tudo foi feito sem transparência e de forma atabalhoada. A orientação é sim a de desmobilizar todas as bibliotecas, restando apenas uma no CENPES e outra no EDISE, ao que tudo indica.

Sendo assim, não aceitamos essa tática de minimizar os danos e desqualificar informes de quem está no dia a dia da empresa, lutando por melhores condições de trabalho e na defesa da Petrobrás e da sua história para o Brasil.

Comente com o facebook
Compartilhe: