RH da Petrobrás trava GT de Teletrabalho

Por Rosa Maria Corrêa

A desculpa mais recente para o RH da empresa não avançar com o debate e negociações do teletrabalho são as declarações de Bolsonaro sobre o tema. A reunião agendada para sexta (26) foi suspensa. Em ofício, enviado nesta quinta (25), a FNP cobra da Petrobrás a manutenção dessa reunião, mas os gestores ignoram as necessidades da classe trabalhadora.

No ofício, a Federação pontua o atraso nesta pauta e a falta de produtividade nas poucas reuniões que ocorreram até o momento.

RH é moroso e não prioriza o tema

– 25/08/ 2020 – GT de Teletrabalho é criado na conjuntura do ACT;

– Em 2020, ocorreram apenas duas reuniões, ambas sem negociação ou resolução nos meses de novembro e dezembro;

– 13/01 – reunião agendada de forma unilateral pela empresa;

– A Federação envia ofício com reivindicações e solicita agendamento de reunião até o dia 22 de janeiro;

– 05/02 – reunião com informação da empresa de que não reconhece caráter negocial do GT, alegando que a Carta Compromisso seria limitada à constituição do GT. As demandas estavam acumuladas e a reunião foi suspensa com o compromisso de haver outra até 12/02;

– 25/02 – RH suspende reunião agendada para a sexta (26), alegando os pronunciamentos de Bolsonaro sobre o teletrabalho na Petrobrás.

O Sindipetro-RJ segue na luta pelos direitos da categoria, acompanhando bem de perto todas as ocorrências na FNP e solicita que qualquer denúncia referente ao teletrabalho seja enviada para contato@sindipetro.org.br

Comente com o facebook
Compartilhe: