Sindipetro-RJ é contra o fim dos Centros de Promoção de Saúde

Petrobrás enviou um comunicado aos empregados usuários dos CPSs (Centros de Promoção de Saúde) informando que a partir de 1º de junho o atual modelo será descontinuado, ou seja, suspenso. “Com o término dos contratos no CPS, no final de maio, vamos aprimorar o modelo para a prática de atividade física. Transitoriamente, empregados serão atendidos por reembolsos em academias externas” – diz o texto.

“Faço atividades no CPS há 12 anos. Se a minha saúde hoje é considerada excelente, agradeço ao CPS. Nesses 12 anos nunca tive um afastamento do trabalho por problemas de saúde. É com muita tristeza que recebo essa péssima notícia que o CPS será descontinuado, esse novo modelo que a empresa apresentou é pura enganação, pois não teremos as condições de excelência que o CPS apresentava e em termos de tempo para fazermos as atividades também seremos prejudicados, já que a academia era dentro da empresa não precisando de deslocamentos” – lamenta um funcionário que não quis se identificar.

O Sindipetro-RJ é contra essa medida e argumenta porque a empresa deve manter o CPS:

  1. A SAÚDE DO TRABALHADOR TEM QUE SER PRIORIDADE – O discurso da empresa de não ter acidentes, de um cuidar do outro, está totalmente incongruente com essa medida. A academia nos prédios facilita a vida do trabalhador que muitas vezes mora longe, tem diversos outros afazeres e dessa forma consegue conciliar melhor trabalho e cuidado com a saúde. A academia atende, na sua maioria, a funcionários que demandam atividades por estarem acima do peso, com alguns indicadores preocupantes e saúde prejudicada. Deve ficar claro: para muitos funcionários, o fim do CPS significará não praticar atividade física por dificuldades, inclusive com o excesso de trabalho imposto hoje.
  2. A EMPRESA ECONOMIZA EM AMS, BENEFÍCIO FARMÁCIA E AUMENTA A PRODUTIVIDADE – Já está comprovado que a prática de atividade física é fundamental para a saúde do corpo, da mente e do espírito. O CPS ajuda a combater índices típicos do sedentarismo, o adoecimento por doenças crônicas coronárias e/ou psíquicas que estão entre as maiores causas de afastamento do trabalho. Ajuda na integração dos empregados. O grau de comprometimento com a empresa certamente aumenta porque os empregados se sentem beneficiados.
  3. INVESTIMENTO É BAIXO! – Comparado ao benefício para ambiência e saúde, o gasto é irrelevante. Melhor que o termo gasto, poderíamos chamar de investimento na saúde dos empregados, que são o coração e o cérebro de qualquer empresa. O maior investimento foi na aquisição de equipamentos e na montagem da estrutura de academia. Agora basta manter a infraestrutura e o serviço, o que para os padrões Petrobras não representa um custo elevado. Uma empresa que lucrou mais de vinte bilhões não pode manter esse benefício para os empregados?
  4. TRABALHADORES PERDERÃO SEUS EMPREGOS – Não podemos deixar de lembrar que @s terceirizad@s, profissionais altamente capacitados, que sempre cuidaram da nossa saúde, perderão seus empregos por conta dessa medida. Por tudo isso, nós vamos nos mobilizar. Colabore enviando seu depoimento: Como o CPS ajudou na sua saúde? Envie seu depoimento para o sindipetro-rj@sindipetro.org
Comente com o facebook
Compartilhe: