FNP solicita suspensão de todos os descontos de passivos da AMS

No contracheque da próxima quinta (25), a Petrobrás se comprometeu em reunião com a FNP a devolver 40% dos descontos efetuados em relação ao saldo devedor do Benefício Farmácia (BF). A reunião com a Federação aconteceu no dia 18/02. Os outros 60% foram estornados no pagamento do dia 10/02.

Segundo os representantes da empresa na reunião, a cobrança do saldo devedor do BF está suspensa e próximos descontos só serão feitos mediante comunicados com antecedência e com prazo regulamentar mínimo de 30 dias para a implantação.

Também houve informe da empresa de que uma equipe está trabalhando especialmente para discriminar a origem de todo o passivo e definir o formato e a apresentação ideal desses extratos para o público alvo. E, mais uma vez, a empresa se comprometeu a melhorar os extratos para que cada participante possa saber exatamente quais são seus saldos devedores, incluindo cobrança parcelada, e reembolsos.

Foi lembrado que a partir de 1º de março, haverá reajuste de 12,5% sobre o custeio da AMS Grande Risco que remete ao índice de Variação de Custo Médico-Hospitalar (VCMH), conforme cláusula do ACT 2020-2022.

De acordo com o RH, a Petros ratificou em carta que vai priorizar em sua folha de pagamentos os descontos relativos à AMS logo após os descontos de empréstimos. O setor Jurídico da FNP e de seus sindicatos já estão estudando esta medida. Mas, a FNP já informou na reunião que está elaborando proposta de parcelamento do passivo com prazos maiores para dívidas maiores e solicitou a suspensão de todos os descontos passivos e não só daquele relativo ao BF até que a empresa termine o trabalho de melhorar os extratos de cobrança da AMS.

Comente com o facebook
Compartilhe: