AMS em pauta na reunião de Acompanhamento do ACT

Petrobrás esvazia reunião enviando apenas quatro representantes

Na tarde desta terça-feira (12), na segunda parte da série de Reunião do Acompanhamento do ACT 2019/17, a Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) e seus cinco sindicatos petroleiros filiados debateram com os representantes da Petrobrás a AMS.
No encontro ficou nítido o quanto o encontro foi esvaziado pela Petrobrás que enviou apenas quatro representantes para uma reunião de um tema considerado de suma importância para a categoria petroleira. Isso já dá uma mostra da aplicação da Resolução 23 e de como a atual gestão da empresa se importa com a saúde dos petroleiros ativos e inativos.
De início, o representante da Petrobrás anunciou a nova formatação da AMS, prometendo que futuramente irá encaminhar um organograma da nova configuração da Assistência Multidisciplinar de Saúde da empresa.
No preâmbulo, os diretores da FNP expuseram a preocupação da categoria petroleira com a aplicação da Resolução 23 que trata do custeio de plano de saúde próprios das estatais, que alterou a proporcionalidade de custeio de 30% x 70% para 50% x 50%. A questão da burocratização dos processos de atendimentos para reembolsos, internações e procedimentos cirúrgicos também foi exposta pela federação que ainda manifestou preocupação com o descredenciamento de profissionais de saúde.

O que diz a Petrobrás

A representação da Petrobrás informou que foi gerada uma ação para garantir a eligibilidade no cadastramento de filhos maiores de 24 anos de idade e que os casos de bloqueios serão revertidos com isso.
No tocante à burocratização dos processos o informe é de que são necessários a criação de controles mais eficazes para evitar futuros problemas, mas que ajustes estão sendo feitos para resolver a lentidão.
Sobre casos de não atendimento de mamoplastia redutora a Petrobrás informa que o procedimento não foi excluído do serviço.
A empresa reconhece a existência de problemas de descredenciamento de unidades hospitalares em Belém/PA, mas que está em tratativas para regularizar a situação, da mesma forma que ocorre em Manaus/AM.
Sobre a cobrança indevida do Benefício Farmácia, sem anuência do usuário não foi esclarecida pela Petrobrás, mas o representante da propôs futuramente emitir informações mais detalhadas para explicar o que ocorre.

Comente com o facebook
Compartilhe: