Contra a privatização, em defesa da vida e do emprego. Acompanhe a Live da Frente de Defesa da Petrobrás

A reunião da Frente Parlamentar em Defesa das Estatais e da Petrobrás, que acontece hoje e será transmitida pela LIVE da FNP, a partir das 10h, é parte de uma mobilização nacional que vem sendo construída e organizada pelas centrais sindicais, FNP, FUP e sindicatos de petroleiros. A proposta é lançar uma grande campanha unificada em defesa da soberania nacional e contra o desmonte da Petrobrás, em defesa do emprego e por medidas de proteção à saúde dos trabalhadores e da população. Desde as 6h30 da manhã estão acontecendo atividades de mobilização nos terminais e refinarias. Você pode acompanhar as LIVES da FNP clicando no link abaixo. Também pode acompanhar diretamente na página do Sindipetro-RJ no Facebook.

TV FNP:

https://www.youtube.com/watch?v=TyhVzlm81Qs

Dia 16 de julho, representantes das centrais sindicais, FNP, FUP, Sindipetro-RJ e de outras categorias de trabalhadores das estatais estiveram reunidos com a Frente Parlamentar para articular as iniciativas da campanha. Em nova reunião, ocorrida na última terça-feira (4/8), também com presença das mesmas entidades, além de técnicos do DIEESE e INEEP, foram discutidas ações contra as vendas de ativos e em defesa de empregos e proteção social diante da pandemia da covid-19.

Gestão da Petrobras acelera privatizações em plena pandemia

Retomada com toda força a partir de junho deste ano, a venda fatiada de ativos da Petrobrás tem sido ainda mais acelerada pela entreguista gestão Castello Branco. Os casos mais recentes são os das fábricas de fertilizantes nitrogenados da Bahia e de Sergipe, mas também estão na mira da privatização as concessões dos polos de Alagoas, Ceará e Urucu (AM), a Petrobrás Biocombustível (PBIO) — uma das maiores produtoras de biodiesel do país — e a refinaria da Bahia (BA), cuja venda é parte do projeto de Bolsonaro/Guedes/Castello Branco de reduzir a Petrobras ao papel de exportadora de óleo cru e importadora de combustíveis.

Tudo isto acontece em plena pandemia, com a gestão da empresa se aproveitando do coronavírus para ampliar ainda mais o desmonte da Petrobras e os ataques aos direitos dos petroleiros. Só no Nordeste — onde 40% de toda a produção industrial de Sergipe, Alagoas e Rio Grande do Norte é de responsabilidade da Petrobras — as vendas de ativos da empresa vão significar a perda de 320 mil empregos na região.

Gestão Castello Branco aplica ‘golpe’ das subsidiárias para privatizar

Para levar adiante seu “plano de desinvestimento” (leia-se: plano de entreguismo e destruição da Petrobrás), a gestão Bolsonaro/Castello Branco vem desmembrando a empresa em “subsidiárias”. O objetivo é acelerar ainda mais as privatizações, uma vez que a venda de subsidiárias dispensa prévia análise e autorização do Congresso Nacional.

Cumpre lembrar que já foram entregues à iniciativa privada vários campos do pré-sal, a BR Distribuidora, as malhas de gasodutos, a Liquigás, fábricas de fertilizantes, o setor de biodiesel e campos terrestres, entre outros importantes ativos da Petrobras.

É preciso reagir. Participe das atividades desta sexta-feira (7/8), dia nacional de mobilização. Acompanhe as LIVES da FNP.

Em defesa da vida e dos empregos. Não à privatização e às vendas de ativos. Fora Bolsonaro/Mourão/Guedes/Castello Branco.

 

Comente com o facebook
Compartilhe: