Funcionários da Petrobrás defendem continuidade do CPS

Atividades em academias localizadas no CENPES e EDISEN ajudam empregados no tratamento de doenças crônicas, pessoas com deficiência e estresse. Leia os depoimentos

Atendimento diferenciado

“No meu caso específico é muito importante esse trabalho feito internamente. Eu tenho uma doença que se eu não tratar, ela é degenerativa : artrite causada pela psoríase. A questão da atividade física para mim não é só estética, no caso , redução de peso, e nem é só uma doença crônica dessa que a gente convive que é a pressão alta, triglicerídeo alto… Só isso já seria o suficiente para justificar. Mas no meu caso ainda tem esse complicador dessa doença que eu tenho que fazer uma atividade física e com uma orientação feita com uma responsabilidade, porque eu não posso submeter minhas articulações a um esforço desnecessário, eu não posso fazer qualquer exercício. Eu faço exercícios com acompanhamento do meu médico, avaliando como está a minha condição física. Eu tomo imunossupressor também e isso também baixa a minha imunidade. Tudo tem que fazer com muito cuidado. No caso do meu trabalho aqui com o CPS, além da formação dos professores que a gente tem aqui, que têm uma formação diferenciada. Quem conhece sabe que a qualidade do trabalho deles não se compara ao que a gente pega nas academias ai fora” – petroleiro lotado no CENPES

Orientação dedicada e competente

“Por indicação médica, por conta das minhas altas taxas de colesterol, triglicerídeos e hipertensão, me matriculei no CPS da minha unidade, o CENPES. Hoje todas as minhas taxas estão abaixo do limite e pressão controlada. Quando entrei no CPS , em junho de 2018 , eu pesava 84 kg, hoje tenho 76 kg. Não temos muita opção de ter um serviço desses lá fora, ainda mais no meu caso que possuo uma deficiência física. Em uma academia externa não teria um orientador ( personal trainer) que tenho aqui. Quando eu treinava em outras academias nenhum instrutor me orientava, e eu ficava simplesmente sem saber o que fazer. Agora aqui na academia do CENPES tenho orientação dedicada e competente. Fico triste com essa situação, pois terei minha saúde prejudicada de novo, espero que a direção da empresa reconsidere essa medida” – petroleiro lotado no CENPES

Acabar com CPS é retrocesso

“Aceitei, entre outros motivos, uma transferência de área para poder fazer academia no prédio, pois é inviável para mim a logística de tentar fazer em outro lugar antes ou após o expediente. Uso a academia em horários que acabam livres durante o dia e compenso esses 30 ou 40 minutos após a jornada. Em uma academia comum, eu gastaria muito mais tempo me deslocando e isso se torna inviável. Os benefícios físicos e mentais eu já senti logo que comecei a usar a academia e acredito que muitas pessoas hipertensas e estressadas se beneficiam da mesma forma. Uma vez que já existem essas instalações, e o hábito de milhares de empregados, eu acredito ser desvantajoso para a própria Petrobrás, desmobilizar as academias. Empresas como o Google aumentam sua produtividade concedendo esse tipo de benefício aos empregados. A Petrobrás deseja retroceder nesse sentido? E essa a visão de mercado da presidência? Então é melhor abrirem concurso para feitor e capataz para “aumentarem” a produtividade e a ambiência dos empregados” – petroleiro lotado no EDISEN

Comente com o facebook
Compartilhe: