“Independência” enganosa

Usando e abusando da nova legislação, Petrobrás amplia as possibilidades de adesão à modalidade de Acordo Individual

Apoiando-se na ideia de aumentar a “independência” da categoria em relação às negociações intermediadas pelos sindicatos, a direção da Petrobrás tem anunciado que disponibiliza a opção do Acordo Individual de Trabalho para mais empregados. Antes eram 6.692 petroleiros elegíveis, agora, por considerar o 13° salário duodecimado e o valor recebido em razão de função gratificada, este número passou para 15.800 empregados.

O foco desta ampliação é atingir-pressionar os petroleiros lotados nas bases da FNP, que não assinaram o acordo até o momento. Mas não é só isso. Desta forma também buscam nos fragmentar e na mesma medida, nos enfraquecer. Querem convencer a nós, trabalhadores, de que nossos interesses são diferentes e colocar em xeque a representação dos sindicatos.

Ao aderir a acordos individuais, não se está tomando uma decisão particular, individual, mas enfraquecendo a luta por um acordo melhor para todos, deixando milhares de colegas para trás, ajudando no enfraquecimento dos sindicatos que, ademais as criticas que possam existir, certamente tornam uma negociação muito mais favorável para os trabalhadores na correlação de forças do que negociações individuais.

Versão do impresso Boletim CLXII

Comente com o facebook
Compartilhe: