Não à proposta da Petrobrás!

Nesta terça-feira, 13 de agosto, Dia Nacional em Defesa da Educação e contra a reforma da Previdência, petroleiros da base do Sindipetro-RJ realizaram mobilizações contra os cortes de recursos da Educação promovido pelo governo Bolsonaro, e votando em assembleias o indicativo de rejeição da terceira proposta de ACT da Petrobrás. Foram realizadas assembleias no CENPES (foto), Sede Transpetro e Aeroporto de Cabo Frio-RJ.

“A luta do pessoal da Educação é de toda a população. Nós temos filhos, amigos e somos uma sociedade que precisa da Educação para desenvolver. A luta em defesa da Educação também é uma luta em defesa da Petrobrás. A Petrobrás é um dos maiores patrocinadores culturais e de Educação do país, gerando recursos para o Estado investir em Educação. Enquanto uma empresa estatal e brasileira, a Petrobrás é um lugar para desenvolver Ciência, Tecnologia e o emprego. Na medida em que vendemos empresas como a Petrobrás, essas pessoas vão trabalhar aonde?” – indaga André Buca, diretor do Sindipetro-RJ, que nesta terça esteve presente no Aeroporto de Cabo Frio-RJ, conduzindo assembleias com os trabalhadores embarcados. Logo pela manhã, às 5h40,  foi realizada uma assembleia no EDIHB com petroleiros embarcados em que foi aprovada de por unanimidade a rejeição da proposta da empresa.

Na sede da Transpetro empregados relataram que houve uma reunião gerencial para convencê-los a aceitar o ACT, sendo avisado que todos seriam abonados para ficar o tempo necessário nas assembleias, com o argumento de que a Petrobrás está quebrada. Ora, a empresa divulga um lucro de cada vez maior anabolizado por privatizações de ativos; promove pagamentos recordes de dividendos para seus acionistas, com o seu presidente afirmando que o foco da empresa são os investidores do mercado financeiro; além de criar o PRVE que oferece premiações acima da média para os chefões, e agora vem com essa ladainha de que não tem recursos para os empregados?  A atual máxima de “ou são direitos, ou são empregos” não convence mais ninguém.

Apesar da direção da Petrobrás exercer pressão sobre seus gerentes para que os empregados votem contra o indicativo do Sindipetro-RJ e federações, para rejeição da terceira proposta da empresa, o trabalho de formiguinha junto às bases segue com força total como na atividade sindical ocorrida no aeroporto de Cabo Frio, ponto de embarque e desembarque dos empregados que atuam no Campo de Búzios, área em que operam quatro plataformas do Pré-Sal.

Assembleia em Cabo Frio rejeita proposta da direção da Petrobrás

“Quem está contra a empresa é a própria direção. As armas que eles usam são o terrorismo, desinformação, mentira e o assédio moral. A direção quer nos derrotar com a mobilização das chefias e dos “puxa sacos”. E nós, por outro lado, temos a nossa imprensa sindical, o nosso trabalho de base com promoção da conscientização junto aos trabalhadores. Por isso, todos os dias, estamos em todas as bases, organizando a categoria, acompanhando embarques, desembarques, desmontando mentiras , esclarecendo os empregados e construindo a nossa organização. Por mais que eles convoquem gerentes para votarem na proposta da direção, nós vamos derrubá-los nas assembleias”  – disse Buca.

As assembleias ocorrem até o dia 21 de agosto. Ainda no sábado, 17 de agosto, o Sindipetro-RJ realiza um seminário regional de Greve, para debater a possível Greve Nacional  Petroleira. Já no dia 20 de agosto FNP e FUP realizam um seminário conjunto de greve.

Em tempo, no fechamento desta reportagem nos foi informado que por maioria a assembleia realizada no CENPES aprovou o indicativo do Sindipetro-RJ de rejeição da proposta da Petrobrás, da mesma forma na assembleia na Sede Transpetro

Ainda nesta terça, a partir de 15h, começa a concentração da Coluna Petroleira na Candelária, Centro do Rio, para o Ato em Defesa da Educação. O ponto de encontro será no balão do Sindipetro-RJ

Comente com o facebook
Compartilhe: