O teatro dos vampiros de Castello Branco -Terceira proposta da Petrobrás retira direitos e reduz remuneração

Todos os sindicatos e federações indicam a rejeição

Vamos à Greve!

Em linhas gerais a proposta da direção da Petrobrás é mais do mesmo: uma total afronta à categoria! Basicamente, o que “muda” é a concessão somente de parte do INPC (que sequer repõe a inflação). A FNP e seus sindicatos filiados realizarão assembleias entre os dias 12 e 21 de agosto com indicativo de rejeição.

No Rio, o Sindipetro-RJ encaminhará também proposta de avaliação de calendário de greve e indicará para as federações, para os seminários de greve e para a categoria a data de 27 de agosto.

A data baseia-se na necessidade de luta imediata contra a pulverização do patrimônio da Petrobrás como a entrega das malhas de dutos, BR Distribuidora, o feirão das refinarias, hibernação das FAFENs e no fato de nossa data-base ser em primeiro de setembro.

Importante!

Participe das assembleias e não se deixe pressionar por gerentes que estão “sugerindo” a aprovação da proposta, a mando da direção da Petrobrás. Não aceite nenhum tipo de assédio. Caso se sinta pressionado, procure imediatamente o Sindicato. denuncie!!!

O Sindipetro-RJ está de olho em todos os gerentes e comissionados que pratiquem qualquer tipo de pressão para que os trabalhadores votem a favor desta proposta indecorosa. Todos que tiverem esta postura serão devidamente identificados nas assembleias e terão suas fotos divulgadas! Caso algum petroleiro ou petroleira sinta-se assediado e constrangido em votar por encontrar seu gerente na assembleia, lembre-se: todos podem votar em qualquer assembleia. Você pode ir para outra unidade e exercer seu direito sem nenhum tipo de pressão!!!

O que a empresa “oferece”:

Veja alguns itens do que a Petrobrás apresenta aos trabalhadores como “avanço” e tome a decisão correta!

Redução salarial (concessão de parte do INPC que sequer repõe a inflação);

Redução de horas extras e que só serão pagas ao bel-prazer da empresa;

Fim da paridade percentual de hora extra entre os trabalhadores engajados em regime especial e os administrativos;

Implantação da Resolução 23, negando o plano de saúde aos novos ingressantes quando forem se aposentar;

Fim do adiantamento do 13º salário;

Fim do pagamento das férias em até dois dias antes do início do gozo;

Fim de novas adesões ao Programa Jovem Universitário;

Fim do apoio de adaptação para os trabalhadores que voltam após doença ocupacional ou acidente;

Fim do auxílio deslocamento para os trabalhadores off-shore;

Fim da atuação e fiscalização sindical, acompanhamento nas CIPAS, SPIEs, homologações, reuniões locais, etc. Tudo por não garantir as respectivas liberaçõs sindicais e desconto de contribuição assistencial autorizada pelos trabalhadores.

 

 

 

 

Versão do impresso Boletim CXXXIII

Comente com o facebook
Compartilhe: