Petrobrás pratica mais um aumento no gás de cozinha e acumulado do ano chega a 10,5%

Sem qualquer compromisso com o povo brasileiro e muito menos considerando todas as questões que envolvem a pandemia, a atual hierarquia bolsonarista na Petrobrás anunciou, nesta terça (20), reajuste de 5% no preço médio do gás de cozinha (Gás Liquefeito de Petróleo – GLP).

O botijão de 13 kg passa a ser vendido pela empresa por R$ 30,74. Ainda sem este aumento, com impostos e margem de distribuição o botijão chega a ser encontrado no mercado por R$ 100,00. E se a venda for controlada por milicianos, o valor cobrado ainda é mais alto.

Os valores agregados ao botijão são exorbitantes e afetam principalmente as camadas mais pobres da sociedade que dependem do botijão do gás para cozinhar os alimentos. A composição de preços é feita da seguinte forma:

41% – Petrobrás
03% – impostos federais, PIS e Confins
16% – Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS)
40% – distribuição e revenda

Com este aumento, no acumulado de 2020, ano de pandemia, o gás de cozinha já aumentou 10,5%.

O Sindipetro-RJ defende uma Petrobrás 100% estatal e voltada para o povo brasileiro.

Comente com o facebook
Compartilhe:
Tags:
,