Petros: parcelas de empréstimo poderão ser suspensas

Após reivindicação da FNP para a suspensão e/ou refinanciamento dos empréstimos na Petros, a fundação divulgou, na quinta-feira (15/07), a possibilidade de suspensão opcional temporária do pagamento das parcelas

O prazo para os participantes ativos e assistidos de todos os planos acessarem o portal da Petros (www.petros.com.br) para suspender o pagamento das parcelas de agosto a outubro começa no dia 21 de julho e termina no dia 3 de agosto.

Para não invalidar o pedido de suspensão temporária, o participante não poderá fazer qualquer movimentação no contrato até o dia 3 de agosto.

Apesar da maioria estar passando por dificuldades financeiras nesse momento de caos socioeconômico, a dica é para que a vantagem seja solicitada somente por quem realmente está precisando, porque durante os meses da suspensão temporária da cobrança, quem optar vai continuar sofrendo os descontos relativos à taxa de administração do contrato e ao Fundo de Quitação por Morte (FQM). E os juros e a correção relativos ao período vão seguir a taxa prevista no contrato e serão somados ao saldo devedor.

Há de se analisar também uma situação em que a Petros não tem gerência: caso o participante tenha uma dívida, por exemplo com um banco, que não esteja sendo cobrada em virtude do limite de margem, essa dívida poderá ser cobrada devido à liberação do valor que estaria destinado ao pagamento do empréstimo Petros.

Comente com o facebook
Compartilhe: