Setoriais prosseguem no Rio e FNP organiza Jornada de Lutas

A hora é essa. Vamos participar!

Lutar em defesa da Petrobrás, dos nossos empregos e direitos conquistados é a única saída. Mobilizar e resistir têm que ser nossas palavras de ordem! Não dá mais para vacilar. Participe das setoriais e ajude na construção de alternativas para barrar o desmonte da empresa! O recado do governo Bolsonaro e do presidente Castello Branco é claro: querem entregar tudo!!! A mudança na tabela de turnos, a implementação do Banco de Horas e a proposta da nova PLR representam a continuidade da preparação da empresa rumo à privatização. Já iniciamos as assembleias setoriais e seguiremos atualizando o quadro para participação da categoria. Veja no link do Boletim 183 uma retrospectiva da negociação do ACT e os ataques que seguem com a retirada de direitos rumo à privatização.

Jornada de Lutas

De 4 a 14 de fevereiro, não fique de fora. A Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) e seus Sindipetros estão organizando uma série de atos, mobilizações e paralisações, para este período. Nas setoriais convocadas pelo Sindipetro-RJ vamos fazer a avaliação da ação da empresa nas “negociações” e no dia a dia organizar nossa participação contra os ataques do governo que já colocou refinarias à venda, arrendou as FAFENs Sergipe e Bahia, fechou a Araucária Nitrogenados (PR) e segue com seu plano de abandonar segmentos estratégicos, com transferências arbitrárias e extinção de postos de trabalho. Todos na Jornada de Lutas da FNP!

Turno de 12h: Jurídico analisa proposta da Petrobrás

O Sindipetro-RJ e o RH da Petrobrás se reuniram na quarta-feira (22), para dar andamento a adoção do turno de 12h. A empresa enviou uma minuta de Acordo para o Sindicato, que está sendo avaliada pelo Jurídico. Entre as mudanças que estão sendo estudadas pelo Sindipetro-RJ estão a inclusão de cláusula estabelecendo vigência do Acordo a ser assinado e melhoria da cláusula referente à manutenção do THM (total hora/mês), explicitando a continuidade da existência de cinco turmas.

Caso a Petrobrás concorde com a redação proposta pelo Jurídico do Sindicato, a assinatura do Acordo pode ocorrer em 1º de fevereiro e a implantação em até 30 dias após a assinatura. As novas regras começarão a serem aplicadas nas unidades CENPES, COMPERJ (somente na Segurança Patrimonial), ARMRIO, FRONAPE, INHAÚMA e na Operação do EDISE, que já pleitearam a mudança. Ainda durante os meses de fevereiro e março, o Sindicato fará debates e assembleias com os outros setores e unidades da Petrobrás para avaliar a questão e, caso haja concordância dos trabalhadores, a expectativa é de assinar minutas correspondentes até o final de março. O debate sobre a migração para o Turno de 12h também está ocorrendo nas unidades da TRANSPETRO: TABG, TEBIG e CNCL.

 

Versão do impresso Boletim 183

Comente com o facebook
Compartilhe: