Transporte no CENPES: economia nos contratos e insegurança para os trabalhadores

A Petrobrás pretende acabar com 12 linhas de ônibus que transportam trabalhadores, próprios e terceirizados, dos bairros de moradia para o CENPES e vice-versa. Das doze linhas, nove atendem predominantemente à Baixada Fluminense (Belford Roxo, Caxias, Mauá, Nova Cidade, Nova Iguaçu, Queimados, Santa Rita, Seropédica e Xerém) e seriam substituídas por apenas 1 linha, saindo de Seropédica pela Dutra “rebocando” dezenas de trabalhadores, que terão de sair de suas casas de madrugada, no escuro, em locais perigosos, e ficar esperando a “condução”, às 5h, 6h da manhã, no meio da Rodovia. As outras três linhas (Coelho Neto, Engenho de Dentro e Guaratiba) seriam substituídas por vans.

O Sindipetro-RJ já alertou às gerências executivas do CENPES e do Compartilhado da irresponsabilidade desta desta decisão, pois afeta gravemente a segurança dos trabalhadores, seja quanto à exposição à violência, seja pelo aumento já comprovado dos acidentes de trajeto.

Apesar de ter a redução de acidentes como um dos indicadores do famigerado Plano de Negócios e Gestão, parece que os contratos na área de transporte somente estão subordinados ao critério de “redução de custos”,

sem respeitar a vida de quem se empenha em prestar um serviço de qualidade no CENPES. Esta medida explicita e se encaixa num plano de desmonte ainda mais amplo, pois o mesmo está sendo feito com o fretamento de transporte de muitas refinarias, as quais se planeja privatizar.

CIPA

A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes do Complexo CENPES-CIPD emitiu um comunicado cobrando às gerências condições de saúde e segurança para a força de trabalho e alertando que a utilização do transporte fretado do CENPES diminui as ocorrências de

acidentes provocados pela utilização de vans e outros meios de transportes muito menos seguros que os ônibus do fretamento. Além da segurança, o transporte fretado também elimina problemas de superlotação das vans e atrasos na chegada ao CENPES.

Muitos terceirizados também estão verbalizando sua insatisfação com as condições de trabalho no CENPES, já que além de estarem com salários reduzidos devido à troca de contratos, a Petrobrás quer retirar do ACT as 3 cláusulas que lhes dão alguma garantia, tirar os dependentes do plano de saúde e agora, o transporte. É de responsabilidade do Gerente Executivo a garantia das mínimas condições de trabalho para seus gerenciados.

Comente com o facebook
Compartilhe: