10 de julho é o Dia Nacional de Luta pelo #ForaBolsonaro

Entidades anunciam calendário de atividades com datas para mobilizações contra o neoliberalismo autoritário do governo Bolsonaro

Rio realiza plenária online no próximo dia 6 de julho, segunda-feira

Em uma reunião online realizada em 23 de junho, representantes de diversas organizações, entre partidos políticos, entidades sindicais, movimentos sociais e setores da sociedade civil, buscaram articular uma ação unificada pelo “Fora Bolsonaro”. Foi aprovado um calendário de mobilização que firmou como uma das principais deliberações o “Dia Nacional de Lutas” em 10 de julho.

Neste data, a proposta é realizar um dia nacional de protestos pelo Fora Bolsonaro, com toda forma de mobilização possível, levando em conta as limitações impostas pela pandemia. Poderão ser realizadas assembleias nos locais de trabalho pela manhã (com atraso na entrada onde for possível) e atos simbólicos de rua, bem como as mais diversas ações que permitam a ampla participação dos trabalhadores e da população em geral, como chamar as pessoas a usarem uma peça de roupa preta neste dia, colocar um pano preto nas janelas, realização de twitaço, ação nas redes sociais e um panelaço nacional à noite.

No encontro ficou acertada ainda a realização online de uma Plenária Nacional Popular pelo Fora Bolsonaro no dia 11 de Julho. Já no dia 12 de julho (domingo), quando serão convocadas novas manifestações de rua em defesa das liberdades democráticas e pelo Fora Bolsonaro, a orientação é que as entidades definam sua participação de acordo com decisão de cada organização.

A unidade pelo Fora Bolsonaro é integrada por PT, PSOL, PSTU, PCdoB, UP, PCB, PCO, PSB, PDT, Rede, centrais sindicais como CUT, Força Sindical, CSP-CONLUTAS, CTB, Intersindical Central; Instersindical Instrumento de Luta, UGT, CSB, CGTB, Nova Central, as Frentes Brasil Popular e Povo sem Medo, Torcidas Organizadas, entre outros (confira abaixo o relatório da reunião).

Fora Bolsonaro e Mourão, já!

Outra frente para dar um basta ao governo de Bolsonaro e Mourão são várias ações com pedido de impeachment. Já foram protocolados até o momento do fechamento desta matéria 48 pedidos na Câmara dos Deputados. A Frente pelo Fora Bolsonaro, com centenas de organizações, lançou em 19 de junho, um abaixo-assinado online para pressionar o presidente da Câmara, Rodrigo Maia a dar andamento ao processo de impeachment.

Mesmo diante da pandemia da COVID-19, que já contaminou mais de 1 milhão de brasileiros e matou mais de 57 mil pessoas, segundo dados recentes da Organização Mundial da Saúde (OMS), o governo de Bolsonaro, Mourão e Paulo Guedes segue nos ataques direitos às condições dos trabalhadores e mais pobres, para atender aos interesses de grandes empresários, banqueiros e do agronegócio.

É política do “passa a boaiada”

É por isso que o sistema de Saúde enfrenta um colapso, a Educação vive um caos, avançam com a destruição dos direitos trabalhistas, aumenta-se o desemprego e a precarização das condições de trabalho, acentuam-se as privatizações, a entrega do patrimônio público e das riquezas do país.
Exatamemte como acontece atualmemte na Petrobrás na qual a situação não é diferente com a gestão irresponsável de Castello Branco e de seu “aspone” do RH, Cláudio Costa, que insistem em expor os petroleiros à pandemia, dilapidando ainda o patrimônio da empresa com inúmeras vendas de ativos.

E a lógica do “passa boiada” segue no desmatamento e com a violência na Amazônia e no campo, bem como com os ataques às liberdades democráticas, com medidas autoritárias e criminalização das lutas e do povo pobre.

Por isso, nos dias 10, 11 e 12 de julho temos que estar a postos para dar um basta neste governo que só defende a exploração e mostra desprezo pelos trabalhadores, democracia e minorias: #ForaBolsonaro

Comente com o facebook
Compartilhe: