COVID-19 na Petrobrás: quando a realidade dos números é bem diferente do discurso de Castellovírus

Na reunião realizada na quinta-feira (14) entre a Estrutura Organizacional de Resposta (EOR) e a FNP e seus sindicatos filiados, a direção da Petrobrás apresentou números atualizados sobre a pandemia da COVID-19 na empresa.

Como havíamos publicado em uma matéria anterior a direção da empresa informa que aplica uma nova metodologia que “contabiliza” os casos de COVID-19, descontadas as “situações de cura” e morte. Sobre este último a alegação é de que divulgar esses dados “invade” a privacidade das pessoas.

Essa estranha situação na Petrobrás revela uma grande contradição da empresa quando ela se apropria do discurso da transparência e governança quando lhe é pertinente para agradar seus acionistas da bolsa de valores, ou seja, faz um discurso para “inglês” ver. E ainda aplica o “me engana que eu gosto” da responsabilidade social como exibido no Jornal Nacional, no quadro “Solidariedade S/A”, exibido no dia 12/05. “É hora de exercer a cidadania corporativa. Todos nós temos que nos unir, a Petrobrás, empresas privadas, para mitigar o impacto dessa crise sobre o nosso país”, afirmou Roberto Castello Branco, presidente da Petrobrás” – parecendo candidato a cargo político.

O que Castello esconde no Jornal Nacional, aparece no RJTV, telejornal regional da Globo, que denunciou o abandono das embarcações petroleiras, citando até a falta de higienização em unidades afretadas e abandono de trabalhadores que não têm acesso nem a um mísero recipiente de álcool gel. Sem contar ainda a situação dos trabalhadores de Urucu-AM, COMPERJ, entre outras unidades. Aliás você pode conferir neste link (https://bit.ly/FNPCOVID) um informe da FNP sobre a situação nas unidades do sistema Petrobrás.

A falta de transparência já se torna oficial como no informe de que Petrobrás desembarcou todos os empregados das plataformas PXA1 e PXA2, dos campos de Xaréu, no Ceará, após confirmação de casos suspeitos de COVID-19. Mais cedo, questionada pelo Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado de São Paulo, a estatal disse que não comentava sobre empregados possivelmente contaminados, com a conversa fiada de isso ser invasão de privacidade.

Pedala Castello…

No fundo, a direção da empresa reflete o que faz o governo Bolsonaro que trata com desdém a situação na pandemia no Brasil, e como não poderia deixar de ser a direção de Castello Branco replica isso na companhia. Nos números abaixo vale atenção ao item “descartados”, que pelo jeito configura uma “pedalada” sobre informações de suma importância para a vida dos trabalhadores do sistema Petrobrás.

Confira os números atualizados até o dia 14/05 da COVID-19 na Petrobrás:

Total de contaminações: 4.943
Suspeitos: 1.964
Confirmados: 1.375
Descartados: 1.604
Confirmados recuperados: 34% (confirmados recuperados nº absolutos = 474)
Liberados para o trabalho: 2.042
Mortes: Não aplicável ????

 

 

Comente com o facebook
Compartilhe:
Tags:
,