Plataformas: RH da UO-RIO enrola a categoria

Em ofício enviado à Petrobrás em 16/05/2019, o Sindipetro-RJ solicitou novamente o agendamento de reunião com a UO-RIO. Já foram diversas cobranças em mesa de negociação e até agora sem resposta. Os problemas são diversos: horas extras não pagas,atrasos nos voos que muitas vezes somam mais de 5h de espera sem que o trabalhador receba almoço pago pela empresa, valores errados no contracheque, os ônibus não param na rodoviária no dia do desembarque e também não há transporte para cada grupo que desembarca, gerando transtornos no retorno para casa no dia da folga, dentre outros temas.

Além de tudo isso, a hora extra de deslocamento da base em que estão lotados até o aeroporto não está sendo paga.

O sindicato está disposto a negociar soluções, no entanto, o descaso segue, sem que haja sequer a marcação da reunião. Parece que o RH esquece que os empregados das plataformas de Búzios já são responsáveis hoje por 10% da produção do Pré-Sal, entregando 204.725 boe/ dia (fonte ANP).

Numa análise simplista, considerando o preço do brent em US$70,00, gera-se uma receita bruta de cerca de US$ 430 milhões/mês  http://bit.ly/CampoDeBuzios

Considerando-se estas cifras, não é difícil entender que essa economia de palito e o desgaste imposto a esses trabalhadores que tanto geram lucro para a companhia é totalmente absurdo!

 

Versão do impresso Boletim CXXIX

Comente com o facebook
Compartilhe: